Com informações da Agência Senado O ministro Ricardo Lewandowski, revisor da Ação Penal (AP) 470, encerrou a leitura parcial de seu voto no ponto em...

Com informações da Agência Senado

O ministro Ricardo Lewandowski, revisor da Ação Penal (AP) 470, encerrou a leitura parcial de seu voto no ponto em que analisa as acusações de corrupção passiva e peculato relativas a supostas irregularidades em contratos de publicidade da Câmara dos Deputados. O ministro conclui pela absolvição do ex-presidente da Câmara, deputado federal João Paulo Cunha.

O ministro Lewandowski divergiu, nesse ponto, do relator, ministro Joaquim Barbosa, que votou pela condenação de João Paulo Cunha nessas acusações.

Na sequência de seu voto, o revisor analisa a segunda acusação de peculato contra o ex-presidente da Câmara.

Comentários

  • PAULO DE TARSO

    25/08/2012 #1 Author

    Esse ministro é uma vergonha para o STF .A população tem que se indignar com estas pessoas que defendem o crime organizado e se dizem juízes .

    Responder

  • erivaldo

    24/08/2012 #2 Author

    Ah, muito dificil alguem saber, quem sabe uma Pitonisa do Oráculo de Delfos.Quem previu tamanha ignomía, tamanha, mácula, tamanha desonra? Puxa, quem previuuuuuuuuu!! .

    Responder

  • SideShow Bob

    24/08/2012 #3 Author

    Como diria o torcedor na arquibancada:

    JUIZ LADRÃO!!!!!!!!!!!!!!

    Responder

  • Rita Horminda Silva

    23/08/2012 #4 Author

    Que pena o julgamento ja está tão atrasado, mas ainda tem juisis que prefere a impunidade descaradamente. É muito triste peçoas ganhar pra faser justissa e ser tão injusto conosco brasileiros que vivemos com tantas dificuldades. Não podemos confiar em politicos nem em justissa brasileira, nem na policia cada um prejudica o proximo como pode.

    Eu não aprovo isso, tenho vergonha de viver em pais desse.

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *