Com informações da Folha Online. O PSDB quer enquadrar o senador Papaléo Paes (PSDB-AP) e convencê-lo a desistir de lotar no seu gabinete a...

Com informações da Folha Online.

O PSDB quer enquadrar o senador Papaléo Paes (PSDB-AP) e convencê-lo a desistir de lotar no seu gabinete a servidora Sânzia Maia, mulher do ex-diretor-geral do Senado Agaciel Maia. O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), telefonou nesta quinta-feira para Papaléo e pediu que ele volte atrás, uma vez que a movimentação da servidora ainda não foi publicada no Boletim Administrativo de Pessoal do Senado. A Folha Online apurou que Sânzia já teria desistido de trocar de função.

A cúpula do PSDB avalia que a contratação da servidora para o gabinete do tucano pode representar um desgaste para o partido que subiu o tom do discurso contra Agaciel –apontado nas denúncias como o principal articulador das irregularidades administrativas descobertas na Casa– e o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que chegou a ser denunciado pela legenda ao Conselho de Ética por ter indicado e defendido a permanência do ex-diretor no cargo nos últimos 14 anos.

O presidente do PSDB não quis comentar o caso. Papaléo disse que ouviu a recomendação do partido, mas que não pretende reavaliar o caso. “O que precisa ficar claro é que não é uma questão política. Ela já é servidora do Senado, não tem nenhuma irregularidade, não tem nada que pese sobre a conduta dela. Insisto que estou tratando esse caso como uma questão humanitária. Ela não pode ser condenada pela supostas irregularidades do marido”, disse.

Leia mais sobre este assunto clicando aqui

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *