Pelo menos dois pontos de divergência entre a Câmara e o Senado precisam ser afinados para que o projeto de reforma eleitoral saia...

 

Pelo menos dois pontos de divergência entre a Câmara e o Senado precisam ser afinados para que o projeto de reforma eleitoral saia do Congresso sem fissuras consideráveis. Relator da proposta aprovada na Câmara, o deputado federal Flávio Dino (PCdoB-MA) confirmou que ainda não há consenso sobre o voto impresso e a contribuição de clubes, federações e entidades esportivas.

 

A emenda ao projeto elaborada pelo Senado exclui a possibilidade do voto impresso e permite as doações, caso a entidade em questão não receba dinheiro público. “Neste ponto, vamos rever. A nossa avaliação é de que tem ou não tem doação, não dá para ter meio termo”, defendeu Dino.

 

Em relação à chuva de críticas sobre o projeto, o relator admite que a proposta passa longe do ideal. “Ela é um avanço dentro do que foi possível e ainda libera a utilização ampla da internet”, ponderou Dino.

 

O projeto de reforma eleitoral deve ir à votação no Senado até o fim do dia.

 

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *