Ary Filgueira A perícia da Polícia Civil divulgou, nesta quarta-feira (9/9), os resultados dos exames realizados nos corpos do ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral...

Ary Filgueira

A perícia da Polícia Civil divulgou, nesta quarta-feira (9/9), os resultados dos exames realizados nos corpos do ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), José Guilherme Villela, da mulher dele, Maria Villela, e da governanta do casal, Francisca Nascimento da Silva. Os três foram mortos no apartamento do ex-ministro, no Bloco C da 113 Sul, no dia 28 de agosto. Os laudos confirmaram a informação divulgada pelo Correio Braziliense na edição desta quarta-feira, indicando que nenhuma das vítimas tinha marcas de facadas nas mãos, indicando que não houve reação ao crime.

O laudo, apresentado pela equipe do Instituto Médico Legal (IML) comandada pelo diretor do instituto Malthus Fonseca Galvão, indica que as mortes ocorreram 72 horas antes dos corpos serem encontrados, na noite do dia 31 de agosto, mas não é possível precisar a hora por causa do avançado estado de decomposição dos corpos.

Como adiantou o Correio, os peritos afirmaram hoje que o assassino entrou no apartamento com a intenção de matar as vítimas. A conclusão se deve à força dos golpes. No documento os peritos são categóricos ao afirmar que as múltiplas lesões “permitem considerar que houve crueldade na execução das mesmas”. O casal e Francisca levaram juntos 73 facas e não 72 como estava sendo divulgado pela Polícia. José Guilherme foi quem mais recebeu golpes: 38. Francisca levou 23 e Maria, 12. Os exames não conseguiram determinar qual das três vítimas foi morta primeiro.
Cliqui aqui para ler a íntegra no site do Correioweb
Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *