Rafael de Souza Ribeiro, do site Infomoney SÃO PAULO – O Copom (Comitê de Política Monetária do BancoCentral) divulgou nesta quinta-feira (10) a ata de...

Rafael de Souza Ribeiro, do site Infomoney

SÃO PAULO – O Copom (Comitê de Política Monetária do BancoCentral) divulgou nesta quinta-feira (10) a ata de sua reunião realizada nos dias 1º e 2 de setembro, quando optou por manter a taxa Selic em 8,75% ao ano.

“Levando em conta a flexibilização da política monetária implementada desde janeiro e a margem de ociosidade dos fatores produtivos, entre outros fatores, o Comitê avalia que esse patamar de taxa básica de juros é consistente com um cenário inflacionário benigno”, justifica sobre a manutenção da taxa básica de juro.

Perspectivas para a inflação
Com base no cenário de mercado estipulado pelo Banco Central, o comitê destacou que houve uma redução para a projeção da inflação em 2009 frente às perspectivas da última ata, ao passo que se encontra abaixo da meta do CMN (Conselho Monetário Nacional) de 4,50%. Para 2010, as estimativas de inflação estão em torno da meta.

Desde a última reunião, a mediana das expectativas para a variação do IPCA ( Índice de Preços ao Consumidor Amplo) em 2009 mostrou queda, passando de 4,53% para 4,29%. Para 2010, as expectativas de inflação recuaram de 4,41% para 4,30%.

“O Copom avalia que, diante da ampliação da margem de ociosidade da economia ocorrida, no que se refere, em especial, aos indicadores de utilização da capacidade na indústria e a certos aspectos do mercado de trabalho, e do comportamento das expectativas de inflação para horizontes relevantes, continuaram favoráveis as perspectivas de concretização de um cenário inflacionário benigno, no qual o IPCA seguiria exibindo dinâmica consistente com a trajetória das metas”, revela a ata.

Economia em recuperação
Os sinais de contração da economia global estão enfraquecendo, com alguns países, em especial na Ásia, tendo registrado crescimento econômico já no segundo trimestre, alavancados pela produção industrial.

O mercado financeiro segue em rota de recuperação, avaliam os membros do Copom, mas as condições para concessão de crédito para consumidores e empresas permanecem restritivas.

Em relação ao Brasil, o comitê avalia que houve um incremento das perspectivas para a evolução da atividade econômica doméstica, notadamente no que se refere ao consumo e, mais recentemente, também aos dados sobre a indústria.

E para a próxima reunião?
Tendo em vista as projeções para a inflação, “o Copom considera que uma postura mais cautelosa contribuirá para mitigar o risco de reversões abruptas da política monetária no futuro e, assim, para a recuperação consistente da economia ao longo dos próximos trimestres”.

Ao final da reunião, foi registrado que o Comitê voltará a se reunir em 20 de outubro de 2009, para as apresentações técnicas, e no dia 21 de outubro para decidir o rumo da taxa básica de juro.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *