A senadora Kátia Abreu (DEM-TO) protocola daqui a pouco o requerimento de abertura da CPI do MST. O objetivo da comissão é investigar como...

A senadora Kátia Abreu (DEM-TO) protocola daqui a pouco o requerimento de abertura da CPI do MST.

O objetivo da comissão é investigar como o dinheiro público sai dos cofres do governo para irrigar os cofres das entidades que dão sustentação ao sem-terra.

A iniciativa é uma espécie de retaliação ao anúncio do governo, de atualizar os índices de produtividade rural.

Segundo a senadora, o agronegócio não pode ser penalizado. “Deveria então haver índices de produtividade também para o comércio e a indústria”, disse a senadora.

As relações entre o governo e as entidades que dão suporte ao MST já foram iinvestigadas há dois anos pela primeira CPI da Terra, presidida pelo senador tucano Alvaro Dias (PR).

O relatório final identificou repasses ilegais, despesas sem comprovação e desvio de finalidade de quase R$ 20 milhões.

O TCU chegou a determinar ao governo que parasse de repassar dinheiro para entidades como ANCA e Concrab, que formam a fachada institucional do MST.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *