O número de casos de gripe suína –como é chamada a gripe A (H1N1)– no mundo supera os 277.607, dos quais 3.205 acabaram em...

O número de casos de gripe suína –como é chamada a gripe A (H1N1)– no mundo supera os 277.607, dos quais 3.205 acabaram em morte, informou a OMS (Organização Mundial de Saúde) nesta sexta-feira. A América continua sendo a região onde aconteceram mais mortes, com 2.467 confirmadas entre o total de 120.653 casos.

No Brasil, há 6.592 casos da doença e 769 mortes confirmadas, conforme informações das secretarias estaduais de saúde.

Segundo balanço da OMS, na região do Pacífico Ocidental houve 306 mortes em 69.389 casos; no Sudeste asiático, 221 em 22.387; na Europa, 125 em 49 mil; no Mediterrâneo oriental, 51 em 9.844; e, na África, 35 em 6.336. Os dados correspondem aos contágios contabilizados até o dia 6 de setembro e a agência reitera que são os casos confirmados em laboratório, por isso que se estima que o número total é mais elevado.

O comunicado da OMS também diagnostica que nas áreas temperadas do Hemisfério Sul, a situação está voltando à normalidade e cita como exemplos Chile, Argentina, Austrália e Nova Zelândia. Por outro lado, vê atividade da pandemia nas regiões tropicais da Ásia e América e cita como exemplos Equador, Venezuela, Índia, Camboja e Bangladesh.

Nas áreas tropicais da América Central e do Caribe –Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Panamá e Cuba– prossegue a tendência de baixa nas afecções respiratórias da população. Na Europa e Ásia Ocidental, em geral o nível de contágio é baixo, exceto alguns casos do leste do continente, ainda conforme as conclusões da OMS.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *