Welcome to Brazil, Edward Snowden!

snowdenSerá que não é o caso, ministro Antônio Patriota, de rever a recusa apriorística ao pedido de asilo feito por Edward Snowden ao Brasil ?

Porque essa recusa tem mais a ver com patriotada e servilismo do que com racionalidade e justeza.

Ou a diplomacia brasileira só tem coragem de afrontar a Itália de Cesare Batisti e a Inglaterra de Ronald Biggs ?

Não adianta só fingir espanto e indignação com algo tão previsível — e se esconder por trás do protocolo para não fazer nada, que é o que vocês fazem quando pinta esse tipo de saia-justa. Nada além de discursos.

Seria melhor e mais honrado do que devolver pugilistas dissidentes para Cuba, não seria ?

Trazer Snowden ao Brasil seria como dar um tapa com luva de pelica na cara dos bisbilhoteiros da CIA e da Casa Branca. Eles iriam pensar duas vezes antes de se meter novamente com quem tem a seu lado o homem que botou o Big Brother da internet no paredão.

Ganharíamos o respeito que perdemos quando um certo ex-presidente foi ao Oriente Médio com o propósito de selar a paz entre judeus e palestinos. E nos redimiríamos da vergonhosa expulsão sumária do Paraguai do ambiente político do Mercosul.

Ninguém mais questionaria o arroubo intervencionista brasileiro na crise aberta pela deposição do mega-ladrão Manuel Zelaya em Honduras — aquela que culminou com a cessão vergonhosa da nossa embaixada em Tegucigalpa. Com a bênção do Itamaraty, a representação diplomática foi transformada em bunker do déspota derrubado após tentar vilipendiar sua constituição, lembra ?

Todo mundo no planeta só falaria de Edward Snowden.

E nós ainda o livraríamos de ter que viver na Venezuela. Uma boa ação.

Pense bem, ministro. Pode ser conveniente.

Um gesto concreto dessa magnitude seria infinitamente melhor e mais produtivo do que todo esse inútil rame-rame verborrágico.

Comentários

6 thoughts on “Welcome to Brazil, Edward Snowden!

  1. Não, não é desta vez que vou concordar com você. Os americanos estão
    saindo da crise e já estão trocando figurinhas preciosas com o europeus
    (além de do Chineses). Feliz foi o Chile com o acordo do Pacífico. Nós e o Merdasul não saímos do buraco. E agora isto?

  2. Meu caro, não é bem assim. Nesse caso, é preciso verificar o que e quanto se ganha com a concessão do asilo. Ele teria algum segredo que beneficie o Brasil? Há alguma vantagem nisso? Afrontar os EUA, do camarada Obama, o negão democrata que chamou o Mula de my man?
    E o Brasil, por acaso, respeita algum sigilo? Lembra do Francenildo? Relembrar esse caso pode custar caro para a presidanta.
    O Snowden é o ex-espião. Sabe-se-lá o que ele já fez de ilegal. Não creio que ele tenha aberto essa caixa de pandora sem nenhum interesse inconfessável.
    Abs.,
    de MarceloF.

  3. A logica deve ser a seguinte: se um brasileiro fizesse o mesmo, ou seja, divulgasse informações secretas do governo petista, as autoridades fariam o mesmo que o Obama faz em relação ao Snowden. Logo, por quê oferecer-lhe asilo? Ele não seria um exemplo positivo a ser seguido (enquanto o PT for governo). Além do mais, o antiamericanismo brasileiro é só de fachada.

    Já em relação ao Battisti, a afinidade ideológica é bem clara e ele é visto como uma espécie de herói de uma causa comum.

  4. O governo brasileiro teme muito prejudicar a relação com os EUA, especialmente neste momento de fraqueza econômica e cambial… faz sentido. Mas tenho pensado muito que uma solução elegante em relação ao caso Snowden, seria a instituição pela UNASUL de novo mecanismo jurídico de “asilo político compartilhado” no âmbito regional, pelo qual dois ou mais países poderiam oferecer asilo conjuntamente e assim diluiriam as consequências políticas do ato. Vários países da região estão dispostos a oferecer asilo a Snowden, mas temem arcar com as consequências isoladamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *