A gripe suína campeia, mas o Senado já parou de abastecer os dispensadores de álcool-gel. Os equipamentos, que foram comprados em regime de emergência...

A gripe suína campeia, mas o Senado já parou de abastecer os dispensadores de álcool-gel. Os equipamentos, que foram comprados em regime de emergência e espalhados por vários pontos estratégicos da Casa, estão secos, largados e sem uso.

A reportagem do Blog testou 11 pontos. Só havia álcool em um deles, justamente o que fica no local menos movimentado — no fim da Ala Tancredo Neves, em frente à liderança do governo.

Os avisos afixados ao lado dos dispensadores são inócuos. Eles orientam os funcionários e visitantes a usar o produto em falta para evitar a contaminação pelo H1N1. Se a disseminação do virus dependesse somente das medidas profiláticas, haveria uma epidemia incontrolável no Senado.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *