Márcio Falcão, da Folha Online. Ao agradecer aos senadores da CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) a aprovação de sua indicação para o TCU (Tribunal...

Márcio Falcão, da Folha Online.

Ao agradecer aos senadores da CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) a aprovação de sua indicação para o TCU (Tribunal de Contas da União), o ministro José Múcio Monteiro (Relações Institucionais) se emocionou e quase chegou às lágrimas. O ministro disse ainda que, apesar de fazer parte do governo Lula, tem “absoluta isenção” para julgar as contas do governo.

A CAE aprovou o nome de Múcio para o TCU durante uma sabatina na manhã de hoje. O ministro recebeu apenas um voto contrário. O ministro se emocionou e embargou a voz ao lembrar aos senadores sobre sua trajetória política.

“Não tem como segurar a emoção. São 20 anos nessa Casa. Me emocionei com a presença de colaboradores, com depoimentos de deputados”, disse.

Múcio disse que se sente à vontade para julgar as contas do governo no TCU –órgão auxiliar do Congresso na fiscalização contábil da União e das entidades da administração direta.

“Me sinto com absoluta isenção [para julgar] até mesmo com os depoimentos da oposição hoje que chegaram a falar da minha isenção. E como diz o poeta vou ajudar a desatar os nós e reatar os laços”, afirmou.

A expectativa é que a indicação de Múcio seja submetida ao plenário do Senado na sessão de hoje. O ministro está de férias até que seja efetivado no TCU. Ele está sendo substituído por Alexandre Padilha, que é sub-chefe de Assuntos Federativos do ministério.

Toffoli

Múcio afirmou ainda que o governo está confiante na aprovação pelo Senado da indicação do advogado-geral da União, José Antonio Dias Toffoli, para a vaga do STF (Supremo Tribunal Federal), feita pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Toffoli enfrenta resistências por ter ligação com o PT. Alguns senadores também questionam o fato do advogado-geral ter sido reprovado em concursos públicos e ainda ser alvo de processos na Justiça. “Eu tenho absoluta certeza que [a indicação] vai ser aprovada. Essas dúvidas serão dirimidas”, disse.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *