Por The Universal Truth “Boa tarde, pessoal. Tem que ver aí no estado, na região, com urgência, quem tem um caso de obreira, obreiro...

Por The Universal Truth

“Boa tarde, pessoal. Tem que ver aí no estado, na região, com urgência, quem tem um caso de obreira, obreiro e até membro que tenha se sentido lesado, que realmente passou um perrengue por causa dessa perseguição, por conta daquilo que falou a matéria da TVI. As pessoas terão que estar aqui na terça-feira. Vocês mesmos, estaduais, regionais, quando vierem para a reunião, podem trazer essas pessoas. Então, você que tem alguma caso, liga aqui pra mim, liga aqui urgente, por favor. Obrigado”.     

Bispo Rogério Silva, no whatsapp da IURD Portugal 

A mensagem transcrita acima reproduz uma ordem expressa do bispo Rogério Silva a todo o clero da IURD lusitana. Ele é o responsável pela articulação dos obreiros em Portugal. Ao fundo, pode-se ouvir a voz do bispo Romualdo Panceiro, atual número 2 da seita de Edir Macedo, recomendando urgência na adoção  das providências. Panceiro é um dos bispos que adotaram irregularmente crianças do Lar de Camarate. Ele chegou a falsificar documentos para tentar regularizar a situação da criança que lhe foi destinada pelo bispo Edir Macedo, assunto que será tratado futuramente neste espaço.

A mensagem, distribuída para um grupo de clérigos da Igreja universal do Reino de Deus, representa o grito de guerra em sua luta para tentar calar a imprensa portuguesa, que tornou público o escândalo das adoções ilegais revelado pela série O Segredo dos Deuses, da TVI de Lisboa.

A tática jé é velha conhecida dos brasileiros. Resume-se a mobilizar um efetivo de religiosos manipulados pela seita para que se digam prejudicados com as denúncias contra a cúpula da IURD, que patrocinará a abertura de processos contra os jornalistas que trazem à luz práticas criminosas dos dirigentes da seita.

A jornalista Elvira Lobato, da Folha de São Paulo, o maior jornal brasileiro, sofreu na pele os efeitos desse tipo de retaliação. Ao cabo de uma série de reportagens sobre a compra da Rede Record de Televisão, que pertence ao fundador da IURD e foi adquirida com recursos da seita, ela sofreu 101 processos movidos por membros da IURD em todo o território. As custas e honorários advocatícios foram bancados pela IURD.

Elvira relatou que a avalanche de ações judiciais fez com que ela tivesse que participar de três audiências num mesmos dia, em locais distantes milhares de quilômetros, para se defender das imputações falsas produzidas pelo séquito controlado por Edir Macedo. Apesar da má-fé na litigância, Elvira Lobato e a Folha de São Paulo não perderam nenhum dos processos.

A Preparação do campo de batalha

Sem argumentos para contraditar o que vem sendo demonstrado pelos jornalistas envolvidos na investigação, a IURD prepara uma série de movimentos que têm por fim desacreditar a fonte das denúncias. A ordem foi repassada pelo bispo Romualdo Panceiro, que se reuniu com pastores e bispos a ele subordinados em Chelas na última semana.

Fontes que participaram desse encontro revelaram a The Universal Truth que as primeiros movimentos terão por objetivo reforçar a marca da IURD com iniciativas como uma campanha de doação de sangue, que já foi deflagrada. Mais importante do que a coleta, segundo os organizadores, é colocar em evidência a marca IURD como patrocinadora de iniciativas de fundo social, que estão longe de ser tradição na empresa religiosa. A primeira fase dessa campanha valeu aos pastores que a executam uma reprienda pública porque não deram prioridade à exibição da marca nem tomaram depoimentos gravados dos doadores para posterior veiculação.

Outra ofensiva é sobre a mídia portuguesa. Romualdo Panceiro determinou que todo esforço seja feito para que a imprensa publique as empreitadas do marketing da IURD. “Se for preciso, eu pago para que publiquem”, esbravejou o responsável pelos negócios da seita em Portugal.

Dois endereços de sites da internet foram distribuídos aos pastores com a orientação de que sejam repassados aos membro da seita que se disserem prejudicados pelas reportagens da TVI, ambos do jornal Diário de Notícias. A orientação é para que pastores façam críticas à série O Segredo dos Deuses e ocultem a sua condição de empregados da IURD.

Curiosamente, o Diário de Notícias vem publicando, em consonância com a estratégia da seita, reportagens em que supostos membros da IURD se dizem prejudicados em suas atividades rotineiras em função da exibição das série da TVI. O jornal tem aceitado esses depoimentos sem a necessária apresentação de evidências dos alegados prejuízos.

O ataque também passa pela produção de fake news. São informações inverídicas que recebem o tratamento de notícia jornalística. Um dos exemplos pode se visto no site brasileiro Gospel Prime. A página religiosa publicou uma notícia absolutamente falsa com o título “Justiça manda jornais de Portugal desmentirem acusações contra IURD“.

O portal Unicom, da assessoria de imprensa da IURD, também tem espalhado informações falsas aos jornalistas que procuram a seita para ouvir sua versão. Uma delas dá conta de que a PGR portuguesa já teria analisado as denúncias e concluído que não houve nenhum ilegalidade, o que definitivamente não aconteceu.

Também no Facebook já se notam os reflexos da orientação impressa pela IURD. Os clérigos estão retirando de seus perfis a menção ao cargo que ocupam. Assim, deixam de se apresentar como pastores e bispos para manterem apenas seus nomes civis. E ficam livres para adotar o estilo que bem entenderem em suas anotações críticas, que sempre passam por queixas que nada têm a ver com o conteúdo das denúncias, que não toca na questão da  liberdade religiosa.

Comentários