A ministra Damares Alves não está sozinha. A vigarice intelectual tem acometido outros lideres neo-pentecostais que transitam entre os mundos da religião e da... Vigarice intelectual: Damares não é a única a mentir sobre titulação

A ministra Damares Alves não está sozinha. A vigarice intelectual tem acometido outros lideres neo-pentecostais que transitam entre os mundos da religião e da política.

A Folha de São Paulo revelou, na edição desta segunda-feira, que Damares não tem os títulos acadêmicos que costuma ostentar quando se apresenta publicamente.

Seus três alegados mestrados são tão reais quanto a encarnação de Jesus na goiabeira, alegoria que agora a ministra agora admite ter sido produto da projeção de uma mente infantil, e não um fato real.

Em suas palestras, a ministra repete que é “mestre em educação, mestre em direito constitucional e direito da família”, como se pode ver no video abaixo, reproduzido do site do UOL.

À Folha, a ministra apresentou outra goiabeira. Disse que a referência aos títulos de mestre na verdade é de cunho religioso, inspirada na Bíblia.

O truque retórico, segundo ela, está amparado em Efésios 4:11 (“E Ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres”).

A ministra do governo Bolsonaro admite que “em várias dessas palestras, parafraseei essa passagem, estimulando os professores ali presentes que se lembrassem como nós, como pastores, recebemos o ministério de mestres dentro da perspectiva cristã”.

Difícil entender que vínculo pode haver entre a “perspectiva cristã” e títulos inexistentes de pós-graduação na área do direito constitucional, de família e pedagogia. O Apóstolo Paulo, autor da Epístola aos Efésios, deve ter revirado na tumba.

Outro luminar da vigarice intelectual é o autoproclamado bispo Edir Macedo, fundador da Igreja universal do Reino de Deus. Assim como Damares, ele diz que é bacharel, mestre e doutor por instituições de ensino superior brasileiras e europeias.

O Blog do Pannunzio e a TVI de Portugal fizeram uma série de reportagens desmontando as falsificações acadêmicas alegadas por Edir Macedo. Ele afirma ser mestre e doutor de universidades que não existem, não estão autorizadas pelo MEC a funcionar, e outras que desmentem categoricamente que o dono da IURD tenha passado pelos bancos de seus cursos de graduação e pós-graduação, caso da federação espanhola de igrejas pentecostais.

Há dezenas de instituições de ensino picaretas na internet para enganar religiosos incautos que têm a pretensão de aumentar suas credenciais acadêmicas sem assistir a uma aula sequer. Pagando uma taxa irrisória, você pode comprar um diploma de qualquer nível de uma arapuca chamada Faculdade do Seminário Unido.

Se tivesse se dado ao trabalho de pesquisar no Google, Damares Alves não teria passado pelo vexame de não poder apresentar um papel emitido por uma dessas espeluncas ao custo de 200 reais, como fez Edir Macedo. Foi assim, com um diploma fake , que o C.E.O. da IURD conseguiu ficar em cela especial quando foi preso em 1992.

L