O ministro Carlos Minc (Meio Ambiente) voltou a rebater hoje o governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB). O governador disse na...

O ministro Carlos Minc (Meio Ambiente) voltou a rebater hoje o governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB). O governador disse na terça-feira que Minc era “veado” e “fumava maconha”. Ele afirmou ainda “ia correr atrás dele e estuprá-lo em praça pública” se o ministro fosse a Campo Grande (MS).

Minc disse que Puccinelli surtou e mostrou sua truculência. “Eu acho que ele surtou. Ele mostrou ser um truculento, mas na verdade fez mal a ele próprio. Mostrou todo seu preconceito. É um autêntico estuprador do Pantanal”, disse.

A troca de farpas entre os dois começou porque o governador criticou o projeto de lei enviado ao Congresso que proíbe a expansão da cana na Amazônia e no Pantanal. O texto prevê a mecanização da lavoura como forma de eliminar o uso do fogo e a emissão de gases poluentes. A inclusão da bacia do Alto Paraguai na lista de áreas sob embargo permanente contrariou produtores rurais e o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes.

Minc disse que Puccinelli foi o maior prejudicado com a discussão. “Acho que o maior prejudicado foi ele que está querendo mudar a lei no Congresso, o que já não ia ser fácil, uma vez que a lei é boa porque defende o Pantanal, a Amazônia, o etanol verde. Agora, não vai conseguir mexer depois disso. Acho que vai ter dificuldade até para montar base para se reeleger.”

Na terça-feira, o governador de Mato Grosso do Sul pediu desculpas em nota encaminhada a Minc. ‘Quaisquer outros desdobramentos devem ser entendidos como inapropriados e, na hipótese de terem gerado ofensa ao ministro, o governador do Estado de Mato Grosso do Sul apresenta seu pedido de desculpas’, diz a nota.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *