O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) oficializou nesta sexta-feira a mudança de seu domicílio eleitoral para São Paulo. Ao justificar a alteração, o deputado disse...

O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) oficializou nesta sexta-feira a mudança de seu domicílio eleitoral para São Paulo. Ao justificar a alteração, o deputado disse que estava cumprindo uma decisão de seu partido, voltou a demonstrar interesse em disputar a Presidência em 2010 e disse que o presidente da Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo), Paulo Skaf (PSB), é um “grande candidato” ao governo paulista.

“Meu sentimento neste momento é que estou cumprindo uma decisão do coletivo do PSB, que ao me fazer esse pedido eu reafirmo minha disposição de ser candidato a presidente da República”, afirmou Ciro, que creditou ao “povo cearense” tudo o que conquistou nos seus 30 anos de carreira política.

Com a oficialização da mudança de título, Ciro disse que vai começar a discutir, a partir da próxima semana, com o PT, PDT e PC do B a situação de São Paulo para definir um projeto para o Estado.

“Minha conversa com o PT é permanente. Nós somos parceiros. Eu falo francamente das suas virtudes, reclamo dos seus defeitos. Eles falam das minhas virtudes e reclamam dos meus defeitos”, disse.

Perguntado sobre qual a principal reclamação do PT, Ciro disse que é o fato de ele ter voto demais. “O PT reclama que eu tenho voto demais”, disse.

Ciro foi hoje pessoalmente ao cartório da 2ª Zona Eleitoral de Perdizes (zona oeste de São Paulo) para retirar o novo título de eleitor com dados de São Paulo. Para justificar a mudança, o deputado comprovou ser proprietário de em um apartamento na zona oeste da cidade.

Questionado sobre a necessidade da mudança para disputar a Presidência, o deputado ressaltou que um candidato tem que ter “intimidade” com a população de São Paulo, por ser o maior Estado do país.

“Para ser candidato a presidente tem que ter intimidade com a expressão que São Paulo tem na economia, na cultura, no movimento acadêmico e com os trabalhadores. De maneira que o partido [PSB] achou que era conveniente [a mudança], mesmo sendo apenas candidato a presidente, tomar essa intimidade com São Paulo”, afirmou.

Sobre o fato de sua mãe, Dona Maria José Ferreira Gomes, ter desaprovado a transferência do domicílio eleitoral do filho, Ciro disse que o assunto já foi resolvido. “Ela já me abençoou”, afirmou.

Segundo reportagem da Folha, coube ao irmão e governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), a tarefa de avisar a mãe para que ela não soubesse pelos jornais. “Mamãe não gostou”, contou Cid à Folha, segundo quem “Ciro estava macambúzio e reflexivo” ao telefone.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *