Vitaminados pela recente exposição na propaganda partidária, o deputado Ciro Gomes (PSB-SP) e a senadora Marina Silva (PV-AC) têm se lançado numa intensa agenda...

Vitaminados pela recente exposição na propaganda partidária, o deputado Ciro Gomes (PSB-SP) e a senadora Marina Silva (PV-AC) têm se lançado numa intensa agenda de viagens para impedir que suas candidaturas à Presidência da República sofram de inanição. A estratégia é conservar o padrão de aparições para sobreviver à polarização entre PT e PSDB na corrida presidencial.

Com a tarefa de manter o mesmo patamar nas pesquisas, Ciro viajou, só na semana passada, a São Paulo, Brasília, Petrolina, Recife e Fortaleza. Hoje, estará na serra Gaúcha. Nesta semana, percorrerá o Norte. “Hoje as coisas estão postas, mas são uma espécie de treino livre da Fórmula 1. Entra sozinho, corre só. Depois outro entra”, resume Ciro.

Após uma passagem pelo Rio no domingo –para a manifestação “Brasil no Clima”–, Marina, por sua vez, cumpriu agenda em São Paulo na quarta e viajou para Manaus na sexta. Amanhã, estará em Minas. Na quinta, embarca para Mônaco, onde recebe prêmio pela atuação em defesa do ambiente.

Em recente reunião com o PV, ela avisou que não pretendia que as atividades políticas invadissem a agenda do Senado. Dizendo-se insegura após desembarcar sozinha em Belém, Marina recomendou que o partido assumisse os gastos e oferecesse suporte durante o roteiro de viagens, que incluirá Chile e Copenhague.

Presidente do PV do Rio, o vereador Alfredo Sirkis justifica a estratégia: “Durante toda a pré-campanha, Marina vai ter de fato muita visibilidade. Na campanha teremos mais dificuldade por causa da falta de tempo de TV”.

Valendo-se de suas agendas oficiais, a chefe da Casa Civil, ministra Dilma Rousseff (PT), e o governador José Serra (PSDB-SP) mantêm o ritmo de viagens iniciado no início do ano. Só que com destinos opostos. Dilma investe nas regiões Sul e Sudeste, onde sofre maior debilidade eleitoral.

Pelo mesmo motivo, Serra se dedica ao Nordeste. Na sexta-feira, dia 25, ela estava em São Paulo. Serra, em Natal.

Anteontem, dia da escolha do Rio como cidade-sede da Olimpíada de 2016, estava ela lá, em visitas a obras no complexo da Maré e na cerimônia de anúncio do comitê olímpico. Quarta, seu destino foi Curitiba, onde visitou um hospital.

Há dez dias, numa solenidade em São Paulo, Dilma revelou sua estratégia em meio a aliados de Serra. A um assessor se disse disposta a viajar a São Paulo sempre que possível.

Serra tem priorizado atividades oficiais, como assinaturas de convênios na Bahia, em Alagoas e no Espírito Santo, para justificar suas viagens. Mas, na semana que vem, o presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), vai propor novo formato de visitas ao Nordeste. Segundo ele, a incursão tem “de ser mais humana”.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *