O ministro Tarso Genro (Justiça), em anúncio nesta quarta-feira que confirmou a colaboração da Polícia Federal e a Força Nacional de Segurança na aplicação...

O ministro Tarso Genro (Justiça), em anúncio nesta quarta-feira que confirmou a colaboração da Polícia Federal e a Força Nacional de Segurança na aplicação do Enem (Exame Nacional de Ensino Médio), afirmou que considera o incidente do vazamento da prova como positivo, por mostrar a importância do Enem para todo o país.

“Eu disse para o [ministro da Educação] Fernando [Haddad] ontem que até foi bom o que aconteceu, porque assim não somente nós, mas toda a sociedade brasileira se tornou consciente da grande importância que tem o Enem para o futuro da educação no Brasil”, disse.

Segundo Genro, o governo vai usar “toda a estrutura” da inteligência da PF para acompanhar a aplicação das provas. Já a Força Nacional de Segurança será usada para “dar segurança na distribuição” das provas.

O ministro classificou de “marginais” os responsáveis pelo roubo e vazamento da prova do Enem, que seria realizado no último final de semana mas foi cancelado após denúncia do jornal “Estado de S. Paulo”. “Quando ocorre um incidente como esse temos que prestar atenção porque um grupo de marginais não pode atrapalhar uma questão fundamental para a educação para o país”, disse o ministro.

O novo Enem será realizado por uma força-tarefa formada pela Fundação Cesgranrio e pelo Cespe, ligado à UnB (Universidade de Brasília), com apoio dos Correios.

O governo decidiu que a nova prova do Enem será realizada nos dias 5 e 6 de dezembro. O MEC avaliava remarcar a prova nos dias 28 e 29 de novembro ou 5 e 6 de dezembro, mas decidiu por dezembro após a reunião entre Haddad e Genro. O horário do exame está mantido, com início às 13h.

Nesta quarta-feira, um problema no site do MEC por volta das 10h30 atrasou o início dos pedidos de mudança no local de prova dos candidatos inscritos no Enem. O sistema voltou a funcionar cerca de uma hora depois, segundo o ministério.

Segundo Haddad, o Exército também se colocou à disposição. “O Enem é um ícone, um símbolo nacional, de importância estratégica. O desafio do Estado brasileiro é garantir que esse ícone seja reconhecido como tal, respeitável e seguro”, afirmou.

O ministro afirmou que discutirá com órgãos de controle a inviabilidade do modelo anterior de licitações para realização do Enem.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *