O assessor especial da Presidência para assuntos internacionais, Marco Aurélio Garcia, afirmou nesta sexta-feira que vai conciliar as atividades do governo com a coordenação...

O assessor especial da Presidência para assuntos internacionais, Marco Aurélio Garcia, afirmou nesta sexta-feira que vai conciliar as atividades do governo com a coordenação do programa para a campanha da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) à Presidência da República.

Ele disse que a elaboração do programa de campanha não vai ficar restrito aos intelectuais do partido e que vai envolver articulação política para agregar ideias lançadas pelos partidos que derem sustentação à candidatura da ministra. Na quinta-feira, ele deve reunir o grupo que dará as diretrizes gerais do projeto para discutir as ações.

Garcia disse que vai trabalhar na campanha fora do horário de expediente. “Em geral, eu tenho ainda boa vitalidade, então estarei nos fins de semana, à noite. Não é apenas um trabalho de intelectual, é um trabalho de articulação política. O interesse, obviamente, é que um programa desses seja uma expressão de todos os partidos que tiverem comprometidos.”

A Executiva do PT já definiu algumas bandeiras que devem fazer parte do programa de governo de Dilma, como política social, educação, investimentos em ciência e tecnologia. Uma das principais preocupações é com a área ambiental.

O coordenador da campanha de Dilma disse que, por enquanto, ainda não está fechada a proposta de lançar um livro contando a vida da ministra, como ocorreu nos Estados Unidos com o presidente Barack Obama. O petista disse que está em discussão um livro com balanço do governo Lula.

“Algumas pessoas estão trabalhando em um livro que deve sair ainda neste ano. Mas isso é outra coisa. Vocês saberão no momento devido. É um livro de alguns autores que é um pouco de um balanço do governo Lula e uma projeção para o futuro. Mas essa é uma iniciativa a parte –intelectuais, membros do governo participam. No momento devido vocês [jornalistas] serão avisados, até para nos ajudarem a vender o livro”, disse.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *