O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou esta tarde, durante reunião da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado, que fraudes em concursos no país...

O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou esta tarde, durante reunião da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado, que fraudes em concursos no país têm se tornado cada vez mais frequentes. “Essas tentativas de se fraudar são muito numerosas. Há muita tentativa principalmente em concursos públicos e precisamos nos blindar para evitar esse tipo de crime”.

O titular da pasta defendeu ainda um novo modo de comando de provas. Para Haddad, o ideal é evitar as terceirizações, montando uma estrutura gerida por um órgão público. “Há uma preocupação crescente com a maneira como isso tem sido visto. Temos que garantir inteligência e experiência acumuladas. Temos que reunir forças para ajudar nesse processo”.

Fernando Haddad foi convidado pela comissão para prestar esclarecimentos sobre o andamento das investigações que apuram as fraudes ocorridas no Enem, o exame que mede o nível do estudante do ensino médio e que foi cancelado há cerca de dez dias depois que denúncias divulgadas pela imprensa apontaram o vazamento da prova.

Segundo o ministro, o inquérito policial já foi instaurado e as responsabilidades no caso estão sendo averiguadas. “Esse episódio vai nos dar mais força para jamais abdicarmos de nossos princípios e convicções. Vamos entrar 2010 numa situação que universidades perceban a importância do Enem”, disse.

Para Haddad, “a ação de quem faz concursos para praticar atos criminosos deve ser reavaliada”. “Talvez nossa legislação seja muito frouxa nesse sentido. A tipificação desse tipo de crime precisa ser repensada”, disse ao afirmar que “uma coisa é violar uma correspondência e a outra é violar uma prova para quatro milhões de pessoas”.

O depoimento do ministro durou pouco mais de duas horas. Durante a reunião, senadores se mostraram solidários com o problema enfrentado pela pasta desde que o escândalo da fraude do Enem foi deflagrado.

Durante a sabatina, Haddad informou que o MEC planeja lançar uma campanha para prestar esclarecimentos aos estudantes sobre a nova prova, marcada para os próximos dias 5 e 6 de dezembro.

Essa campanha será veiculada em rádios, televisões e pela internet e vai orientar os alunos e mostrar providências a serem tomadas para que a segurança do exame seja garantida e novos problemas não ocorram.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *