A Airbus expediu um comunicado aos proprietários do modelo A-330 para que adotem procedimentos padrão em caso de inconsistência ou suspeita de defeito dos...

A Airbus expediu um comunicado aos proprietários do modelo A-330 para que adotem procedimentos padrão em caso de inconsistência ou suspeita de defeito dos sensores de velocidade. Segundo a Agência Reuters, o mal funcionamento desses equipamentos pode ter motivado a tragédia sobre o Atlântico.

Informações transmitidas automaticamente pelos sistemas eletrônicos da aeronave nos três últimos minutos do voo indicam que havia inconsistência na medida da velocidade do ar quando o avião estava prestes a entrar na zona de instabilidade climática.

Os sensores são tubos sujeitos à ocorrência de congelamento. Esses tubos são aquecidos para evitar a formação de gelo, que pode obstruir os condutos e gerar dados incoerentes, que induzem a erro os computadores que orientam a dinâmica de voo.

A Airbus antecipa que a mensagem não significa que os pilotos tenham cometido qualquer erro, muito menos implica culpa da companhia. Mas considerou importante submeter o alerta ao BEA, órgão do governo francês responsável pela investigação, que avalizou a transmissão.

Tantos peritos do BEA quanto técnicos da Airbus acreditam que fatores meteorológicos e erros de procedimento, provocados ou não pela interpretação equivocada de dados dos sensores de voo, podem ter contribuído para a queda do avião.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *