O PDT entrou com pedido do mandado do deputado federal Sérgio Brito (PSC-BA) por infidelidade partidária. Brito foi eleito deputado pelo PDT em 2006,...

O PDT entrou com pedido do mandado do deputado federal Sérgio Brito (PSC-BA) por infidelidade partidária. Brito foi eleito deputado pelo PDT em 2006, mas deixou o partido em setembro sem apresentar justa causa.

O PDT afirma que Brito pediu licença do cargo de deputado logo depois de se filiar ao PSC para assumir o cargo de secretário municipal de Planejamento da Prefeitura de Salvador. O PDT diz que o deputado fez isso “visando exclusivamente seus interesses políticos eleitorais”.

A vaga de Brito na Câmara é ocupada pelo suplente Milton Barbosa, do PSC. “Ocorre que o legítimo suplente ao cargo de deputado federal não poderia ter sido do PSC/BA, ainda que este partido tenha integrado a coligação vitoriosa. É que a vaga, por pertencer ao partido pelo qual o deputado federal Sérgio Brito foi eleito, deveria ter sido ocupada, com o seu afastamento, pelos suplentes do PDT, conforme registrado nesta Justiça Eleitoral”, sustenta o PDT.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *