O Senado deve encerrar 2009 com um superávit de R$ 110 milhões. A afirmação foi feita pelo diretor-geral da instituição, Haroldo Tajra, que participa...

O Senado deve encerrar 2009 com um superávit de R$ 110 milhões.

A afirmação foi feita pelo diretor-geral da instituição, Haroldo Tajra, que participa de audiência pública na Comissão de Fiscalização e Controle da Casa.

Ele foi convidado a participar do encontro e expor o orçamento neste período marcado pela maior crise política da história do país.

Ainda segundo Tajra, a economia foi conseguida graças às medidas administrativas adotadas, como corte da cota de passagens aéreas de parlamentares, redução na impressão de materiais gráficos, recolhimento de veículos e corte na gratificação de servidores que participavam de comissões.

Para o diretor, os números mostram “a eficácia das políticas de contenção de despesas”.

De acordo com dados apresentados pelo gestor, nos últimos dois anos, mais de R$ 300 milhões foram solicitados para fechar o orçamento da Casa. “Em 2007, pedimos R$ 117 milhões de suplementação orçamentária. Em 2008, R$ 233 milhões. Este ano, nenhum pedido foi feito”, disse ao comemorar os números.

O primeiro-secretário Heráclito Fortes (DEM-PI), também presente ao encontro, ouviu atentamente a exposição do diretor. Ao fim, complementou: “Só é uma pena que o dinheiro (os 110 milhões economizados) retorne ao (Ministério do) Planejamento e possa ser mal gasto”.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *