O Senado parece não saber ao certo o que fazer com os candidatos a servidores fantasmas da Casa que não preencheram o recadastramento obrigatório...

O Senado parece não saber ao certo o que fazer com os candidatos a servidores fantasmas da Casa que não preencheram o recadastramento obrigatório da instituição.

No vai e vem de suspensões de salários, o primeiro secretário Heráclito Fortes (DEM-PI) assinou hoje um ato administrativo suspendendo apenas os vencimentos dos 88 funcionários (65 comissionados e 23 efetivos) que não chegaram a dar início ao preenchimento da documentação solicitada.

Ontem, esta mesma decisão havia sido tomada num primeiro momento. No entanto, no fim da noite, o próprio senador voltou atrás e anunciou, numa reviravolta, que os vencimentos de todos os 503 servidores que não preencheram o cadastro seriam bloqueados. Quatrocentos e quinze deles haviam entregue parte dos documentos pedidos.

De acordo com a decisão de hoje, “todos os servidores que ainda não finalizaram a atualização de seus dados cadastrais deverão fazê-lo no prazo de cinco dias úteis, sob pena de configuração de falta funcional e de abertura de processo disciplinar. O não atendimento à convocação no prazo assinalado, salvo causa justificada, importará na suspensão do pagamento e na abertura de procedimento disciplinar”.

O primeiro recadastramento do Senado foi feito com a intenção de identificar eventuais servidores fantasmas, que recebiam salários sem frequentar a Casa, e eliminá-los numa verdadeira caça às bruxas.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *