Do O Globo. A Mesa do Senado aprovou nesta quinta-feira, por unanimidade, a sugestão da comissão de sindicância que recomendou a demissão do ex-diretor...

Do O Globo.

A Mesa do Senado aprovou nesta quinta-feira, por unanimidade, a sugestão da comissão de sindicância que recomendou a demissão do ex-diretor de Recursos Humanos da Casa João Carlos Zoghbi por improbidade administrativa. Zoghbi foi identificado, assim como o ex-diretor-geral Agaciel Maia, como um dos responsáveis pelos mais de mil atos secretos editados pela instituição nos últimos 14 anos.

– O presidente do Senado (José Sarney) teria poder para decidir isso sozinho, mas optou por dividir a responsabilidade com a Mesa, que por unanimidade acatou a recomendação pela demissão de Zoghbi – confirmou o 1º secretário, senador Heráclito Fortes (DEM-PI).

Ele não soube informar quando essa demissão será efetivada ou se ainda cabe algum recurso para o ex-diretor.

O ex-diretor, que perdeu o cargo em 16 de março, é acusado ainda de direcionar empréstimos consignados em folha de pagamento para a Contact Assessoria de Crédito, empresa que pertenceria a um de seus filhos, que também foi indiciado. Zoghbi teria até usado o nome da ex-babá numa empresa para intermediar os empréstimos.

Em agosto, a Polícia Federal indiciou Zoghbi por concussão (extorsão ou peculato cometido por empregado público no exercício de suas funções), inserção de dados falsos no sistema e formação de quadrilha. Se condenado, Zogbhi está sujeito a pena de até 23 anos de prisão.

Diante da reação de parte dos líderes, a Mesa também decidiu revogar a decisão aprovada na reunião passada que autorizava que pelo menos três servidores comissionados dos gabinetes de seus representantes e das lideranças partidárias pudessem ser lotados nos escritórios políticos nos estados.

Na reunião, também foi apresentada oficialmente a proposta consolidada de reforma administrativa apresentada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Os 81 senadores terão agora um prazo de 15 dias para apresentar emendas e sugestões, antes da votação da proposta em plenário.

Apesar de o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), ter anunciado que iria submeter à Mesa a decisão do Supremo Triibunal Federal sobre o afastamento imediato do senador Expedito Júnior (PSDB-RO), o assunto não foi discutido na reunião da Mesa porque o Senado ainda não foi notificado. Mas a intenção é acatar a decisão.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *