O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), anunciou na tarde de hoje os novos pontos para a reforma administrativa da Casa. Durante discurso, ele...

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), anunciou na tarde de hoje os novos pontos para a reforma administrativa da Casa.

Durante discurso, ele assegurou aos demais senadores que as mudanças na instituição devem ocorrer até o fim do próximo mês.

O texto da reforma já está disponível no portal de transparência do Senado e foi entregue a cada um dos 81 senadores. Eles terão 15 dias para analisar a matéria e apresentar sugestões. A partir daí, um novo prazo (de dez dias) é dado para que as ideias sejam compartilhadas e compatibilizadas. Por fim, elas vão para votação em plenário.

“O Senado está cumprindo o que prometeu à sociedade”, garantiu Sarney ao informar que haverá na Casa um enxugamento administrativo. “A proposta da reforma foi recebida e estamos chegando à fase final de um período complexo da história política do país”, disse ao se referir à crise que assolou o Senado este ano.

Ao todo, 450 sugestões foram  recebidas e partiram para consolidação pela primeira secretaria.

Segundo a proposta, haverá uma redução de 602 cargos para 361 posições de chefia. A extinção de 518 cargos também esteve na pauta. Mas a maior intenção do Senado é reduzir o número de diretorias de 180 para apenas sete. “Esse atual modelo administrativo será extinto por completo”, afirmou José Sarney. “A reforma prevê a redução de 602 cargos de chefia para 361. O número de cargos com status de diretor cai de 180 para sete. Ficam extintos os cargos de diretores de subsecretaria e passam a existir somente os chefes de departamento. O atual modelo administrativo será abandonado por completo. No seu lugar surgirá um novo modelo de pirâmide”.

A reforma foi encomendada à Fundação Getúlio Vargas há mais de seis meses e é entregue num período de relativa calmaria na Casa que ficou conhecida como Circo dos Horrores nos piores tempos da crise.

As medidas estruturantes também seguem padrões moralizadores. A primeira ação da Casa aconteceu nesta quinta-feira, com a decisão pela demissão do ex-diretor de Recursos Humanos, João Carlos Zoghbi.

O Senado também trabalha para organizar uma estrutura mais eficiente para os funcionários, que contará com o cadastramento de impressões digitais e a implantação de pontos eletrônicos para marcação dos horários de entrada e saída de servidores.

O discurso de Sarney para anunciar as novas medidas durou menos de 20 minutos.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *