Da Agência Brasil. O Ministério de Minas e Energia afirmou nesta segunda-feira, em nota, que um curto-circuito foi o motivo do blecaute que deixou...

Da Agência Brasil.

O Ministério de Minas e Energia afirmou nesta segunda-feira, em nota, que um curto-circuito foi o motivo do blecaute que deixou 18 Estados sem energia na última terça-feira (10).

De acordo com o ministério, o curto-circuito derrubou três linhas de alta tensão e foi o responsável pelo desligamento da usina de Itaipu. Com a perda da usina binacional, segundo a nota, outras usinas foram desligadas por questões de segurança.

O ministério voltou a ressaltar que, no momento do blecaute, a região de Itaberá (SP) registrava chuva intensa, ventos fortes e descargas atmosféricas. O ministério também reafirmou que os consumidores que tiveram aparelhos queimados pela queda de energia têm até 90 dias para cobrar o ressarcimento das suas concessionárias.

Segundo informações do ministério, um grupo de trabalho do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico vai buscar medidas que “aumentem o grau de segurança e confiabilidade do sistema interligado de fornecimento de energia elétrica”.

Está prevista para esta terça-feira (17) a divulgação do relatório do (ONS) Operador Nacional do Sistema sobre as análises feitas nos aparelhos que medem o fluxo de energia nas linhas e que fizeram um retrato do que houve no momento do blecaute.

Investigação

O ministério de Minas e Energia, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e o ONS têm até esta segunda-feira para entregar ao Ministério Público Federal toda a documentação solicitada sobre o blecaute. Os órgãos têm até o dia 26 para indicar os responsáveis pelo local da falha inicial.

Entre o material solicitado, estão as comunicações entre os agentes do setor (distribuidores, transmissores e geradores), as atas de reuniões, as notas técnicas, os laudos preliminares produzidos desde o início do blecaute até o prazo fixado, e qualquer outro documento recebido ou conhecido relacionado ao blecaute.

O procurador da República em Goiás Marcelo Ribeiro de Oliveira é o responsável pelo caso. À Folha Online, Oliveira afirmou que espera concluir a primeira etapa da apuração em 15 dias –prazo que pode ser prorrogado. Ele espera receber uma documentação completa sobre as causas do apagão para que sejam cobrados os direitos dos consumidores e a garantia dos serviços.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *