Gabriela Guerreiro, da Folha Online. Pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta segunda-feira mostra que o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), continua liderando a disputa...

Gabriela Guerreiro, da Folha Online.

Pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta segunda-feira mostra que o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), continua liderando a disputa pelo Palácio do Planalto, com 31,8% das intenções de voto. A ministra petista Dilma Rousseff (Casa Civil) aparece em segundo, com 21,7% das intenções de voto, seguida pelo deputado Ciro Gomes (PSB-CE), com 17,5%. Marina Silva (PV) tem 5,9% das intenções de voto.

Esse cenário não foi avaliado na sondagem anterior, realizada em setembro pelo CNT/Sensus. No entanto, comparando com outro cenário –em que a candidatura de Heloísa Helena (PSOL) é substituída pela de Ciro–, há recuo da intenção de voto em Serra, que tinha 39,5% das intenções de voto. Na sondagem anterior, Dilma aparecia com 19% das intenções de voto e Maria com 4,8%.

Para a CNT/Sensus, o recuo na intenção de voto em Serra reflete a forte rejeição ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Segundo o presidente da CNT (Confederação Nacional dos Transportes), Clésio Andrade, Serra caiu em média 15 pontos percentuais desde o ano passado –quando a pesquisa chegou a registrar índices acima de 40% de apoio ao tucano na disputa com os demais candidatos.

“Há queda acentuada do Serra se comparada com listas passadas. Há um ano, ele aparecia com percentuais que variavam de 45% a 49%. Houve uma queda de cerca de 15 pontos percentuais em um ano. O Serra caiu em função do apoio do Fernando Henrique, que coloca o governador como candidato principal do PSDB. Está clara a rejeição ao ex-presidente”, disse Andrade.

Segundo a pesquisa, FHC teve a rejeição de 49,3% dos eleitores ouvidos pela CNT/Sensus em novembro –que não votariam em candidatos apoiados pelo tucano. Somente 17,2% dos entrevistados responderam que votariam em nomes apoiados pelo ex-presidente tucano.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao contrário, teve índice de rejeição de apenas 16%, enquanto 51,7% dos entrevistados responderam que poderiam votar no candidato apoiado pelo petista.

Dilma

Enquanto Serra cai na pesquisa, o presidente da CNT avalia que Dilma, embora ainda apareça atrás do tucano, cresceu na disputa. Com forte apoio do presidente Lula, Andrade acredita que a capacidade de transferência de voto do petista melhorou o desempenho da ministra na pesquisa.

Na sondagem anterior, realizada em setembro, a petista perdia para Serra e Ciro, enquanto desta vez aparece à frente do candidato do PSB.

Quando Serra é substituído em primeiro turno pelo governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), sem Ciro na disputa, Dilma venceria com 27,9% dos votos. Aécio aparece em segundo lugar com 20,7% das intenções de voto, seguido pela senadora Marina Silva (PV), com 10,4%.

A pesquisa mostra que, quando Serra é substituído na disputa em primeiro turno por Aécio, Ciro venceria as eleições com 25% dos votos, seguido por Dilma, com 21,3%. O governador de Minas aparece em terceiro lugar, com 14,7% dos votos, seguido por Marina, com 7,3%. Mais de 30% dos entrevistados não responderam ou se mostraram indecisos.

Ainda nos cenários de primeiro turno, a pesquisa mostra a vitória de Serra na disputa direta com Dilma e Marina. O tucano recebeu 40,5% das intenções de votos, seguido por Dilma, com 23,5%, e por Marina, com 8,1%.

Na avaliação do presidente da CNT, Aécio e Dilma têm capacidade de crescimento nas pesquisas, segundo dados levantados pela entidade. “Podemos afirmar que Aécio e Dilma podem crescer. A Dilma aparecer na mídia está fazendo ela crescer. Se o Aécio continuar no páreo, ele vai crescer mais”, afirmou.

A pesquisa CNT/Sensus foi realizada entre os dias 16 e 20 de novembro, em 136 municípios de 24 Estados. Foram ouvidas 2.000 pessoas, e a margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou menos.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *