Do Blog do Noblat Seria possível cometer o prodígio de noticiar o mensalão do governo do Distrito Federal livrando a cara do governador José...

Do Blog do Noblat

Seria possível cometer o prodígio de noticiar o mensalão do governo do Distrito Federal livrando a cara do governador José Roberto Arruda?

O Correio Braziliense, o principal e mais antigo jornal da cidade, provou que sim na sua primeira página.

Manchete da edição de hoje, sábado:

GDF e distritais são alvo de investigação

Sub-manchete:

PF e Justiça apuram suposto esquema de propinas a parlamentares

Texto abaixo da sub-manchete:

“A Polícia Federal apreendeu ontem computadores e documentos nas casas e nos escritórios de 16 pessoas suspeitas de envolvimento num esquema de pagamento de propinas a deputados distritais da base de apoio ao Governo do Distrito Federal.Entre os investigados estão secretários de estado, empresários e distritais. Denominada Caixa de Pandora, a operação da PF foi desencadeada por determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ) após uma série de denúncias e escutas ambientais feitas pelo delegado Durval Barbosa, exonerado ontem do cargo de secretário de Relações Institucionais do GDF.

Barbosa também estaria envolvido no esquema e aceitou a proposta de delação premiada oferecida pelo Ministério Público para revelá-lo. Segundo o inquérito, o ex-policial, que ocupou cargos públicos no governo Joaquim Roriz e responde a processos por corrupção, teria gravado uma conversa com o governador Arruda em 21 de outubro. Ontem, todos os secretários e servidores do GDF citados na operação foram afastados dos cargos.”

———–

* “Entre os investigados…” – esqueceram Arruda.

* “Barbosa também estaria envolvido no esquema…” – e Arruda? Não?

* “o ex-policial (…) teria gravado uma conversa com o governador Arruda” – teria? Ele gravou. A transcrição da conversa está nos autos do inquérito – e nos mais importantes jornais do país.

Manchete da edição de hoje do Jornal de Brasília:

“Arruda exonera secretários”

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *