{wmvremote}http://oglobo.globo.com/blogs/arquivos_upload/2009/12/129_332-video 2 arruda.wmv{/wmvremote} Reunidos na sala da presidência, Durval e Arruda conversam sobre política. Durval entrega um pacote de dinheiro a Arruda. E esse,...

{wmvremote}http://oglobo.globo.com/blogs/arquivos_upload/2009/12/129_332-video 2 arruda.wmv{/wmvremote}

Reunidos na sala da presidência, Durval e Arruda conversam sobre política. Durval entrega um pacote de dinheiro a Arruda. E esse, em seguida, atende o celular que seu motorista lhe passa.

O vídeo termina aí. Na verdade, termina aí o vídeo exibido pelas tvs, sites e blogs até agora.

O segundo vídeo mostra Arruda conversando ao telefone. Ele não diz o nome do seu interlocutor. Mas o interlocutor era Roriz. Segue a transcrição do que disse Arruda a Roriz, segundo a Polícia Federal.

Arruda – Alô! Oi,meu irmão… Tá bom… Alô, fala governador! Tudo bom. Com saudade… Eu trouxe os documentos pro senhor assinar amanhã… Resolveu, mas a coisa já está adiantada e eu preciso lhe entregar os documentos para o senhor dar uma lida. Igual aquele que… hã… hã… É… uma outra parte. Tá? É… Aonde e que horas?… Tá bom. O senhor tá descendo lá em Águas Claras [residência oficial do governador]? Agora?… Então eu vou ver se acho ele agora e já mando. Um abraço.

Durval – Documento do Raimundo? (…) Esse governador é uma parada…

Arruda – Esse negócio aqui… Esse assunto aqui… É o seguinte: um dos votos do Supremo, do TSE…

A gravação termina. Na época, Roriz andava preocupado com processos que tramitavam contra ele na Justiça Eleitoral e que poderiam impedi-lo de ser candidato.

Em outro vídeo que entregou à Polícia Federal, Durval conversa com Alcyr Collaço, dono do Jornal Tribuna do Brasil. E diz que 20% do que arrecadava de comissões à frente da Codeplan até o final de 2006 eram destinados a Roriz.

Arruda e Roriz são uma coisa só, um extensão do outro.

Em entrevista “amigável” concedida esta semana ao jornal Correio Braziliense, Arruda afirma que Roriz soube com antecedência da operação da Polícia Federal contra ele. Acusa Roriz, candidato à sua vaga no próximo ano, de querer ganhar “no tapetão”.

Se Roriz soubesse do tsunami que se abateria sobre Arruda não teria saído do PMDB para ser candidato pelo inexpressivo PSC. Arruda tomou o PMDB de Roriz. Que espera reavê-lo com a desgraça de Arruda.

O PMDB decidirá na próxima segunda-feira se fica no governo Arruda ou se o abandona a exemplo do PSDB, PDT, PPS, PSB e PV.

Clique aqui para ler a íntegra no Blog do Noblat

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *