As imagens produzidas pelo governo Arruda dão ânsia de vômito em qualquer pessoa minimamente decente. É enojante ver esses canalhas do Distrito Federal enfiando...

As imagens produzidas pelo governo Arruda dão ânsia de vômito em qualquer pessoa minimamente decente. É enojante ver esses canalhas do Distrito Federal enfiando dinheiro de propina na bolsa, na meia, na cueca, em malas, caixas de papelão, envelopes.

A biografia do ainda governador faz jus às imagens que ele e os outros protagonistas do escândalo estrelaram nos últimos dias. Ele violou o sigilo de uma votação no Senado, mentiu, jurou em falso pelos filhos, pediu perdão enquanto reincidia em seus pecados, montou uma equipe cheia de delinquentes com folha corrida conhecida, sustentou no governo uma organização criminosa, botou a mão em pacotes de dinheiro sujo.

Flagrado com a mão na massa, volta a mentir, criou essa história ridícula de panetones, teve a pachorra de lançar um edital no Diário Oficial para legitimar a roubalheira. Fraudou de novo produzindo recibos frios. Reeditou a Operação Uruguai — que, a propósito, teve seu vice Paulo Octávio como avalista.

Ameaçou, chantageou seu próprio partido. A entrevista que encomendou ao Correio Braziliense é um acinte de ameaças veladas cujo objetivo implícito é criar ainda mais contrangimento para os que estão na iminência de pular da Arca do Inferno que navega em suas Águas Claras.

A questão é que esse constrangimento ultrapassa os limites das baias e gabinetes em que as negociatas foram urdidas. É a população honesta de  Brasília que não aguenta mais a roubalheira, o cinismo, a desfaçatez, o esbulho e a vergonha de tudo o que ocorre neste grotão chamado Distrito Federal.

Nós, que não roubamos, não metemos a mão, não corrompemos nem nos deixamos corromper, não suportamos mais esse tipo de espetáculo trágico que vocês, políticos de Brasília, acham que podem continuar produzindo. A esbórnia corrupta que vocês criaram nos faz sentir vergonha de declarar que somos de Brasília, que amamos Brasília, onde vivemos em paz e honestamente apesar da sua malandragem e da sua roubalheira,  apesar de vocês e da sua desonrosa vizinhança.

Não dianta manobrar a bancada do panetone. Não adianta tentar barrar a justiça. Você, Arruda, está condenado e acabado. Já era. Você, mais cedo ou um pouco mais tarde, vai purgar seus pecados no ostracismo — ou na cadeia, se a justiça deste país resolver funcionar.

Ajudaria muito se você e sua turma saíssem de cena. Essa determinação de permanecer não faz nenhum sentido. E tem o condão de aumentar o seu desgaste e a nossa indignação. Do que adianta ir à justiça para tentar se manter no GDF ? Você acha que aquela senhora inocente do Varjão que te perdoou da primeira vez vai dar um novo mandato para que você mantenha o privilégio do foro especial ? E que aquele ministro do Supremo que comparou a tomada da Câmara Distrital à Queda da Bastilha vai ser indulgente com você ?

Você só tem uma coisa positiva a fazer por todos nós, inclusive por você: Renunciar. Atalhar o sofrimento geral que está provocando. Deixe as pessoas corretas que vivem aqui buscar um outro caminho.

Você não tem alternativa. Ou sai, ou saem com você.

Por favor Arruda, nos ajude. Pelo menos uma vez na vida, seja digno.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *