Metade das empresas que aparecem na planilha do suposto caixa dois da campanha de José Roberto Arruda (DEM) mantém contratos com o governo do...
Metade das empresas que aparecem na planilha do suposto caixa dois da campanha de José Roberto Arruda (DEM) mantém contratos com o governo do Distrito Federal que renderam, apenas em 2009, meio bilhão de reais. O documento, uma espécie de balancete informal de campanha de 2006, foi elaborado por Márcio Machado, ex-secretário de Obras e presidente do PSDB-DF. Nele aparecem informações de saldo, despesas e receitas, com detalhamento de valores recolhidos ou a recolher de 41 empresas. Segundo levantamento feito nesta segunda-feira no sistema de pagamentos do governo do Distrito Federal, pelo menos 20 das empresas são fornecedoras do governo e têm a receber R$ 537,4 milhões este ano.
O levantamento foi feito pela liderança do PT na Câmara Legislativa a partir do Siggo, o sistema de acompanhamento financeiro do governo do DF. Não foi possível analisar os pagamentos feitos em 2007 e 2008, já no governo Arruda, porque o sistema ficou fora do ar e apresentou problemas. A assessoria do deputado distrital Paulo Tadeu (PT) se queixou de boicote .
Construtoras e prestadoras de serviço lideram lista de repasses
A planilha do suposto caixa dois foi revelada semana passada pelo jornal “O Estado de S.Paulo”. Machado reconheceu a autoria do documento, mas negou que se tratasse de uma contabilidade paralela de campanha. Segundo ele, as anotações se referiam a potenciais doadores, listados a pedido do tesoureiro da campanha. Os valores seriam uma previsão da quantia a ser pedida a cada uma.
Entre as empresas listadas, as maiores fornecedoras são construtoras e prestadores de serviços. Por exemplo, a Fiança Segurança e a Fiança Serviços Gerais já receberam juntas, este ano, mais de R$ 78 milhões do DF. Segundo a planilha, a Fiança teria repassado R$ 650 mil à campanha de Arruda. A Serveng Engenharia, com R$ 77,5 milhões a receber até o fim do ano, aparece com a seguinte anotação: “500.000 / pg 250”. Na lista de receitas, é associada ao valor de 250.000.
A assessoria de imprensa do GDF informou que só Machado poderá se manifestar sobre o tema e encaminhou a ele o pedido do GLOBO. Não houve resposta. Segundo informação anterior do advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, Machado apenas sugeriu arrecadar dinheiro junto às empresas listadas no documento.
A empresa de terraplenagem Torc, que recebeu R$ 897 mil do GDF em 2009, é citada na planilha de Machado como doadora de R$ 50 mil. Sua concorrente Conterc tem R$ 17,1 milhões a receber do governo neste ano – R$ 6,7 milhões já foram pagos. Na lista de Machado, aparece com a anotação “200.000 ok”. Pelo menos dez empresas da planilha não aparecem como contratadas do GDF em 2009. A pesquisa levou em conta os nomes abreviados na planilha e não abrange empresas de um mesmo grupo ou com o mesmo dono.
Clique aqui para ler a íntegra no site de O Globo
Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *