Venício Lima, no Observatório da Imprensa O leitor de jornais locais no Distrito Federal está enfrentando uma situação, no mínimo, curiosa: se quiser obter informações...

Venício Lima, no Observatório da Imprensa

O leitor de jornais locais no Distrito Federal está enfrentando uma situação, no mínimo, curiosa: se quiser obter informações sobre o envolvimento do governador José Roberto Arruda e de seu vice, Paulo Octávio, no escândalo de corrupção revelado pela Polícia Federal nos últimos dias, terá que recorrer a jornais publicados em cidades localizadas a milhares de quilômetros de Brasília.

Além de um dos primeiros vídeos de flagrantes de corrupção da série já divulgada mostrar um proprietário de jornal recebendo propina e colocando maços de dinheiro na cueca, os jornais têm oferecido aos seus leitores uma cobertura que levanta (ou confirma?) suspeitas antigas sobre os vínculos da imprensa local com o Governo do Distrito Federal (GDF) (ver, neste Observatório, “CB e GDF, relações suspeitas”).

As manchetes do Correio Braziliense

A cobertura dada pela imprensa local ao escândalo de corrupção no DF já foi objeto de artigos publicados neste Observatório (ver, por exemplo, “Cobertura do CB tem sujeito oculto”).

Agora, compare você mesmo leitor(a) apenas as manchetes de primeira página publicadas no principal jornal do DF – o Correio Braziliense (CB) – após a revelação do escândalo, com aquelas publicadas nos três principais jornalões do país, localizados em São Paulo – O Estado de S.Paulo (OESP), Folha de S.Paulo (FSP) – e no Rio de Janeiro – O Globo (GL).

** Sábado (28/11)

CB: “GDF e Distritais são alvo de investigação”

vs.

OESP: “Polícia flagra mensalão do DEM´ no governo do DF”

FSP: “Governador do DF é acusado de corrupção”

GL: “Governador do DEM é suspeito de pagar propina a deputados”

** Domingo (29/11)

CB: “OAB pede explicações sobre denúncias”

vs.

OESP: “Em vídeo, Arruda recebe R$ 50 mil”

FSP: “Documento liga vice-governador do DF a esquema de corrupção”

GL: “PF: Arruda distribuía R$ 600 mil todo mês”

** Segunda-feira (30/11)

CB: “Novos vídeos expõem base aliada do GDF”

vs.

OESP: “Vídeos letais´ levam DEM a preparar expulsão de Arruda”

FSP: “Vídeos mostram aliados de Arruda recebendo dinheiro”

GL: “Arruda: TSE vê indícios de caixa 2”

** Terça-feira (1/12)

CB: “Democratas divididos: Arruda se defende. Quebra de decoro na Câmara”

vs.

OESP: “Governador do DF ameaça e DEM adia expulsão”

FSP: “Ex-secretario liga tucano a mensalão”

GL: “Em vídeo, empresário reclama de alta propina cobrada pelo governo Arruda”

** Quarta-feira (2/12)

CB: “Arruda: Roriz quer ganhar no tapetão” (entrevista exclusiva de duas páginas no caderno “Cidades”)

vs.

OESP: “DEM marca expulsão de Arruda para o dia 10”

FSP: “Fita expõe ação de Arruda no mensalão”

GL: “Imagem de político recebendo propina não fala por si só´, diz Lula”

** Quinta-feira (3/12)

CB: “Durval acusado de desviar R$ 432 mil”

vs.

OESP: “Arruda licitou panetone no dia da operação da PF”

FSP: “Para mensalão do DEM, PT propõe impeachment”

GL: “Grupo que negociava propina chamava Arruda de big boss´”

** Sexta-feira (4/12)

CB: “Como Prudente fez o pé-de-meia”

vs.

OESP: “Planilha detalha doações para caixa 2 de Arruda”

FSP: “PF apura se pacote com dinheiro era para Arruda”

GL: “Processo contra Arruda para na câmara do DF”

** Sábado (5/12)

CB: “Rastro do crime na saúde do DF”

vs.

OESP: “Caixa 2 no DF cita empresas ligadas a parlamentares”

FSP: “Arruda ignorou parecer para contratar firma suspeita no GDF”

GL: “PF quer acesso às contas de Arruda”

** Domingo (6/12)

CB: “Lixo hospitalar vale ouro na Câmara”

vs.

OESP: “Patrimônio de Arruda cresce 1.060%”

FSP: “Campanha de Arruda financiou 236 candidatos”

GL: “Por que corrupção não dá cadeia no Brasil?”

Sugestão de pauta

Um dos objetivos da Associação Nacional de Jornais (ANJ) é “fazer prevalecer o Código de Ética e Auto-regulamentação da entidade entre suas associadas”.

Dois dos dez princípios do código de ética da ANJ dizem o seguinte:

“Os jornais afiliados à ANJ – Associação Nacional de Jornais comprometem-se a cumprir os seguintes preceitos:

(…)

3. Apurar e publicar a verdade dos fatos de interesse público, não admitindo que sobre eles prevaleçam quaisquer interesses.

(…)

5. Assegurar o acesso de seus leitores às diferentes versões dos fatos e às diversas tendências de opinião da sociedade.

Não seria o caso da ANJ, entidade tão zelosa na defesa da liberdade de expressão e da liberdade de imprensa, incluir na pauta de sua próxima reunião as diferenças eloqüentes entre as coberturas do mesmo escândalo de corrupção oferecidas pela imprensa de Brasília, comparativamente àquela dos jornalões de São Paulo e do Rio de Janeiro?

A imprensa, que já atravessa uma grave crise universal, não estaria colocando ainda mais em risco sua credibilidade? Não estaria em jogo a responsabilidade social dos grupos de mídia de servir ao interesse público e, acima de tudo, o direito soberano do cidadão de ser corretamente informado?

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *