-” Renan, dá uma de louco e instala isso amanhã!..” O apelo foi feito agora há pouco, por telefone. De um lado da linha...

-” Renan, dá uma de louco e instala isso amanhã!..”

O apelo foi feito agora há pouco, por telefone. De um lado da linha o líder do PSDB, Artur virgílio. Do outro, o indefectível Renan Calheiros, o todo-poderoso líder do PMDB. Renan havia acabado de confirmar a sessão de instalação da CPI da BR para o meio-dia desta quarta-feira.

“Não vai acontecer nada. Isso aqui é puro teatro”, disse Artur Virgílio, tapando o telefone, enquanto o colega peemedebista morria de rir do outro lado da linha.

Artur Virgílio faz as contas: se a oposição tivesse o poio firme do senador Jeferson Praia (PDT-AM) e de Fernando Collor (PTB-AL), seria possível tentar acabar com o movimento de obstrução da maioria governista. Mas Jeferson Praia faz parte da bancada governista e Collor é um enigma indecifrável. Além do mais, na guerra instalada sobre a arena da CPI da PETROBRAS não há flerte possível com soldados do exército inimigo.

“Amanhã a gente vai lá, fatura, fica com a faixa de heróis da nacionalidade”, diz Artur Virgílio, resignado com o que vai acontecer. “Eu estou sabendo o que eles vão fazer hoje. Como é que vou ficar indignado amanhã? “, indaga o senador amazonense.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *