Desde ontem este blog e o Prosa e Política permutam material censurado. O Blog do Pannunzio veicula as matérias que o Prosa e Política está...

Desde ontem este blog e o Prosa e Política permutam material censurado. O Blog do Pannunzio veicula as matérias que o Prosa e Política está impedido, por decisão judicial, de publicar. E o Prosa e Política veicula a série de reportagens que o Blog do Pannunzio está proibido de postar.

A idéia dessa insólita “permuta” nasceu da necessidade de demonstrar que é impossível estabelecer mecanismos de censura para a internet. Ficam preservadas as determinações judiciais que censuraram ambos os blogs. Mas à opinião pública é restabelecido o direito de acessar a informação, restaurando-se o princípio constitucional de que não há censura prévia no Brasil.

Aos dois primeiros blogs veio se somar a Página do E, do jornalista matogrossense Enock Cavalcanti. Assim como o Prosa e Política, Enock foi censurado pelo deputado estadual José Riva, presidente da Assembléia Legislativa de Mato Grosso. A partir de agora, você pode ler aqui o material que está embargado na Página do E.

A iniciativa teve uma enorme repercussão. Todas as manifestações foram favoráveis. Isso denota com muita clareza a aversão da sociedade brasileira à volta da censura, ameaça que ressurge sob o patrocínio do Poder Judiciário e tem a aquiescência do STF, que mantém o jornal O Estado de São Paulo sob censura imposta pela família Sarney há 137 dias.

Para os que tentam silenciar os blogs, a consequência não poderia ser mais drástica. Assuntos de natureza regional, ou de interesse restrito, ganharam uma inédita importância institucional e tiveram sua repercussão amplificada porque passaram a integrar outra esfera de interesses. Já não se trata mais apenas da roubalheira de um parlamentar matogrossense ou dos ardis de uma quadrilha de traficantes de trabalhadores. Agora, o assunto em questão é a defesa do direito de informar e ser informado.

Fica a lição para os déspotas que um dia sonharam em se aparelhar da Justiça para calar o cyberespepaço: tentar censurar a web é burrice, é pura estupidez. Na santa anarquia que constitui este universo não há espaço para censores. A web nasceu vocacionada para compor aquilo que genuinamente se conhece como “esfera pública”, espaço para a realização da cidadania plena.Contra a estupidez, a irreverência. Contra a arrogância,a criatividade. E contra a censura, a permuta cívica.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *