Sarney recebia 3,8 mil reais de auxílio-moradia e não sabia. Tinha um neto trabalhando no gabinete do compadre. E também não sabia. A filha...

Sarney recebia 3,8 mil reais de auxílio-moradia e não sabia. Tinha um neto trabalhando no gabinete do compadre. E também não sabia. A filha dele tinha uma bolada de dinheiro em espécie no escritório de campanha e não sabia. Do que sabem os Sarney?

É estranho que o presidente de uma Casa tão importante quanto o Senado não consiga saber das coisas que estão bem debaixo do próprio bigode. É estranhíssimo que ele jamais tenha cruzado com o neto nos corredores do Senado. Ou que, ao encontrá-lo, não tenha tido a sagacidade de perguntar-lhe o que o garoto fazia por ali.

É estranho que Cafeteira tenha empregado o neto de Sarney sem dizer a ele o que estava fazendo. Não era um favor? Mais estranho ainda o fato de, ao demiti-lo, também não explicar os motivos da dispensa. É estranho que a exoneração tenha acontecido de maneira tão dissimulada, por meio de ato secreto. Por quê? Se Sarney jamais soube que o próprio neto trabalhava no gabinete ao lado, teria o tirocínio de perceber que ele já não trabalhava mais? Também é estranhíssimo que a família não tenha se preocupado com o fim de um salário mensal de mais de sete mil reais — a ponto de sequer comentar com o patriarca a situação do rapaz, desempregado. Mas parece que dinheiro não faz diferença para essa estoica família.

Se o atual presidente do Senado nunca tomou conhecimento do ato de nomeação, por que tomaria conhecimento da demissão, mesmo que ela fosse feita pelos métodos ortodoxos ?

Estranho, muito estranho, o mundo de Sarney.

 

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *