Transcrevo, abaixo, trecho do depoimento prestado por Durval Barbosa à procuradora Raquel Dodge.  A conversa descrita pelo ex-secretário de Relações Institucionais, que operava como...

Transcrevo, abaixo, trecho do depoimento prestado por Durval Barbosa à procuradora Raquel Dodge.  A conversa descrita pelo ex-secretário de Relações Institucionais, que operava como arrecadador de propina junto às empresas de informática, versava sobre o pagamento, pela via de decretos de reconhecimento de dívida, de encargos assumidos ilegalmente pela ex-governador Maria de Lurdes Abadia no apagar das luzes do governo Roriz, a quem ela sucedeu.

 

“ARRUDA informou ao declarante que precisava receber RS 4.000.000,00 (quatro milhoes de reais) do setor de informatica naquele ano [2007]; QUE o declarante ponderou ao governador que a pretensão de receber uma propina de quatro milhões de um montante de cinquenta e sete milhões de reais por serviços de informática prestados ao governo era extorsivo, porque ARRUDA já havia recebido uma parte dessa propina ainda em 2006, havia expedido um decreto que reduzia o valor da dívida em trinta por cento e porque houve uma grande defasagem de tempo entre a data do serviço prestado e o recebimento da divida; além disso falou para ARRUDA que a alíquota de dez por cento era muito elevada, já que o montante arrecadado pelo declarante seria destinado exclusivamente a ARRUDA e nao incluia o percentual que caberia ao vice-governador PAULO OCTAVIO e a outros integrantes do governo; QUE diante das ponderações do declarante, ARRUDA aceitou receber “somente” tres miIhoes de reais; QUE foi o próprio declarante que entregou aproximadamente R$ 3.000.000,00 (tres miIhões de reais) que arrecadou a JOSÉ HUMBERTO PIRES”

 

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *