Vivian Milczewsky, uma das “vítimas”: Coelhinha da Playboy sabia onde estava se metendo Do Blog do André de Moura   Em todo escândalo político tem...

Vivian Milczewsky, uma das “vítimas”: Coelhinha da Playboy sabia onde estava se metendo


Do Blog do André de Moura

 

Em todo escândalo político tem sexo, faz parte do jogo de poder e da corrupção. Há muito se comenta a existência de fitas envolvendo políticos graúdos da capital em orgias. É um assunto que faz com que muitos torçam para aparecer em fitas recebendo propina. É melhor do que ser flagrado em uma orgia, pois as esposas não perdoarão e as consequências são imprevisíveis. Se Arruda tivesse aparecido em uma fita de orgia já teria caido, a Flávia o derrubaria. Sabe-se, também, que existe um grande mercado de prostituição aqui no Distrito Federal.

No caso do mensalão original, a agenciadora de prostitutas era Geany Marie Corner. Na Câmara Federal deputados tremeram de medo ao ouvir esse nome. Em escândalos passados aqui no DF, o assunto sexo também apareceu.

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal julgou no dia 15 de outubro de 2009 uma apelação de um processo em que duas pessoas, um homem e uma mulher, haviam sido condenados por rufianismo e tráfico interno de pessoas. O acórdão é longo, são 17 páginas, mas que não retratam a complexidade do processo e o conteúdo das interceptações telefônicas.

Um dos crimes que era imputado aos réus Marilene e Marcelo era o de tráfico interno de pessoas. Eles foram absolvidos do crime, absolvição correta, pois as mulheres agenciadas não foram ludibriadas ao se deslocarem para Brasília. A situação delas era diferente daquelas pobres coitadas que são enganadas no interior e se deslocam para a capital e são escravizadas, tornadas escravas sexuais. As “vítimas”, no caso, sabiam no que estavam se metendo e não eram indefesas. Por essa questão técnica os acusados foram absolvidos, mas, o fato de que modelos e apresentadoras de TV vieram à Brasília para se prostituir é inequívoco.

O Desembargador Mário Machado, que revisou o julgado, deixou registrado que:

Incontestes a materialidade e a autoria, caracterizada por: Auto de Prisão em Flagrante (fls. 13/25); Ocorrência Policial de nº. 31/2008-0 (fls. 28/30); Auto de Apresentação e Apreensão (fls. 36/39); Termo de Restituição (fl. 40); Bilhete de Passagem de Avião (fl. 44); Fotografia da Vítima Michele Lazzari (fl. 47); Relatório Final do IP de nº 34/08 (fls. 51/55); Portaria de Instauração de Inquérito (fls. 72/79); Registro de Ligações (fls. 83/129, 265/306); Comprovação de Embarque em Voo da Vítima Vivian Milczewsky (fls. 131/135); Comprovação de Embarque em Voos de Antonela Avellaneda (fls. 136/139, 142/146); Levantamento de Dados Referente à Vítima Vivian Milczewsky (fls. 149/151); Levantamento de Dados Referente a Antonela Avellaneda (fls. 152/154); Levantamento de Dados Referente à Vítima Elaine Reinert dos Santos, conhecida por “Nany”, (fls. 156/157, 159/179); Ocorrência Policial de nº. 1.760/2008-0 (fls. 183/186); Lista de Hóspedes que deram entrada no Hotel Meliá na tarde de 15/8/2008 (fls. 190/191); Relatório das Fotografias e Filmagens realizadas entre 25 e 27/7/2008 (fls. 194/198); Relatório para Identificar Imóveis em nome dos réus (fls. 201/204); Relatório do Hotel Brasília Alvorada, contendo extrato telefônico do período de hospedagem, documentos que identificam a data da chegada e partida das hóspedes e documento que identifica o número de reserva e Ficha Nacional de Registro de Hóspede, referente à vítima Vivian Milczewsky e a Antonela Cleoneda (fls. 205/215); Relatório de Acompanhamento das Atividades de Vivian Milczewsky (fls. 216/220); Auto de Apresentação e apreensão nº 77/08 (fls. 240/244); Fotografias da ré Marilene Fernandes de Oliveira e da vítima Vivian Milczewsky e de Antonela Avellaneda (fl. 311); Relatório da Análise das Dez Agendas e do Celular da Ré Marilene (fls. 320/324); Relatório dos Bilhetes de Avião Emitidos por Miranda Turismo e Representação LTDA (fls. 325/326); Ocorrência Policial de nº 2.790/2005-2 (fls. 329/330); Relatório Final do IP de nº 31/08 (fls. 337/365); Laudos do Exame de Informática dos Computadores da Ré Marilene (fls. 548/555) e do réu Marcelo (fls. 758/767); Laudo do Exame de Áudio – Transcrição Fonográfica – (fls. 606/660, 769/823); Análise nas Fitas que Contêm os Conteúdos dos Diálogos Gravados (fls. 996/999) e prova oral coligida.

Repare nas vítimas Vivian Milczewsky e Antonela Avellaneda, as duas já foram capas da Playboy e famosas. O “programa” das famosas realizados em hotéis de luxo de Brasília não é barato, portanto, acessível apenas para os endinheirados. Elas foram inclusive filmadas e fotografadas pela polícia em momentos anteriores à mercância.

O processo, cujo acórdão foi publicado em 1º de dezembro de 2009, dá uma trilha segura de quem pode fornecer informações seguras sobre o escândalo do mensalão. Ouvir as prostitutas, manobristas e recepcionistas de hotéis e motéis poderá revelar vários campos de pesquisa e, em especial, indicar a existência de patrimônios ocultos. Não falo de dotes físicos ocultos, mas de lotes, mansões, carrões etc. Ladrão gosta de contar vantagem do dinheiro amealhado na rapinagem.

Basta lembrar que em um dos escândalos envolvendo Pedro Passos, uma escuta telefônica trouxe informações da alcova e da forma em que o erário era dilapidado. Relembre.

Brasília é prodigiosa no quesito casas de prostituição. Em pesquisa no Google, encontra-se pelo menos 03 sites especializados em “anunciar” acompanhantes de luxo. Brmodels, BsbSexy e Belasdaqui.

Confira o acórdão e imagine o que a Polícia Civil dispõe de dados sobre prostituição e políticos.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *