O suplente de vereador Aroldo Pinto de Azeredo mantém a greve de fome iniciada quarta-feira passada para pressionar o Senado a aprovar a PEC...

O suplente de vereador Aroldo Pinto de Azeredo mantém a greve de fome iniciada quarta-feira passada para pressionar o Senado a aprovar a PEC dos Vereadores. O projeto, que está tramitando desde o ano passado, prevê uma redução do orçamento das câmaras municipais. A aprovação dessa PEC é condição precípua, imposta pela Câmara Federal, para aprovar um outra emenda à Constituição — a que cria 7.400 novas vagas no legislativo de milhares de municípios brasileiros.

Aroldo é primeiro suplente em Itiúba, Bahia. Esta é a segunda vez que ele se priva de ingerir alimentos para sensibilizar os senadores a votarem logo o projeto. Ele diz que já perdeu cinco quilos e continua firme no propósito de manter a greve de fome. Ele está sentindo tonturas, mas diz que seu estado de saúde é bom. No Senado, pode ser encontrado na tribuna de honra, onde passa a maior parte do tempo.

A PEC 47/08 deve ser aprovada por acordo de todos os partidos. Embora tenham se comprometido com os suplentes, os senadores não escondem o constrangimento para aprovar a medida.  Contra ela se posiciona a maior parte dos vereadores eleitos. E há o fardo de ter que enfrentar a opinião pública, que não assimila a iniciativa.

Quem quiser conhecer melhor o Aroldo pode assistir ao vídeo abaixo.

{wmv}fome{/wmv}

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *