ANA CAROLINA DANI Ao comentar o caso pela primeira vez, o ministro da Defesa francês, Hervé Morin, comparou o Rafale a um carro esportivo...
ANA CAROLINA DANI
Ao comentar o caso pela primeira vez, o ministro da Defesa francês, Hervé Morin, comparou o Rafale a um carro esportivo italiano Ferrari e o Gripen, a um veículo mais familiar da marca sueca Volvo. “Não se pode comparar o incomparável”, afirmou à rádio francesa RMC.
Questionado sobre o custo do Rafale, superior ao do Gripen e ao do concorrente americano na disputa, o Boeing F-18, Morin disse: “É possível comparar uma Ferrari, que é o Rafale, com um Volvo, que é o Gripen?”
O ministro afirmou que o caça francês é o único no mundo que pode, no mesmo voo, fazer funções de combate aéreo, ataque a solo e reconhecimento. Isso é uma vantagem competitiva contra o Gripen e o F-18.
Morin também reforçou a ideia de que a decisão final será muito mais política do que técnica. Segundo ele, a França e o Brasil têm hoje uma parceria estratégica que “vai muito além da simples relação entre cliente e fornecedor”, disse o ministro.
Brasil e França já assinaram, em 2009, acordo militar para compra de submarinos e helicópteros de mais de R$ 20 bilhões e firmaram uma parceria visando alinhar interesses políticos e de suas indústrias de defesa.
A Saab e a Boeing afirmaram não conhecer o relatório da FAB.
Se você é assiannte, clique aqui para ler a íntegra no site da Folha
Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *