“Empregado doméstico é uma profissão tão digna quanto qualquer outra”, disse à repórter Rosean Kennedy, da Rádio CBN, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores...

Ernandes Amorim, A Diarista do Congresso“Empregado doméstico é uma profissão tão digna quanto qualquer outra”, disse à repórter Rosean Kennedy, da Rádio CBN, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Domésticos do Distrito Federal.

Não é. Há profissões  exercidas com menos dignidade, caso explíto de alguns deputados federais. Ernandes Amorim, do PTB de Rondônia, por exemplo. O parlamentar, que diz já ter sido trabalhador doméstico, é o autor da proposta da compra um jatinho para ele e os colegas se refestelarem.

Ao ser questionado sobre sua proposta, Amorim disse que “se tivesse continuado pensando como empregado domésticos, teria ficado só lavando prato”.

Agora vamos fazer o raciocínio inverso. O que aconteceria se os lavadores de prato pensassem apenas como deputados federais ?

Para começar, a casa ficaria sem ninguém para trabalhar quatro dias por semana — e pelo menos dois meses por ano — fora o recesso branco. Provavelmente não sobraria uma peça de louça no armário. As jóias da patroa involuntariamente ganhariam outros donos. O estoque da despensa seria saqueado. E até a fiação de cobre correria o risco de seu surrupiada.

Felizmente há empregados domésticos que pensam somente como empregados domésticos.

Infelizmente também há deputados federais que só pensam como deputados federais.

 

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *