A sessão em que Sarney se justificava corria solta. Sérgio Guerra pediu uma redução do quadro de funcionários do Senado. “É um anacronismo. São...

A sessão em que Sarney se justificava corria solta. Sérgio Guerra pediu uma redução do quadro de funcionários do Senado. “É um anacronismo. São dez mil funcionários para 81 senadores”.

Mas, de repente, os senadores pararam a crise por uns minutos. Foi para receber o presidente do Senado francês.

Sarney estava sendo aparteado por Aloizio Mercadante. Teve que dar uma pausa no discurso. Aplausos e cafezinhos depois, a crise foi retomada.

Agora é Artur Virgílio que pede austeridade. Disse que não aceita a desmoralização de um mandato conquistado do eleitorado amazonense.

Na verdade, parecem discursos combinados, só pra cumprir tabela.

Ninguém pediu a Sarney que renunciasse.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *