Carol Pires A situação do primeiro suplente de deputado Geraldo Naves (DEM) continua em suspenso na Câmara Legislativa. Preso pela Polícia Federal por envolvimento...

Carol Pires

A situação do primeiro suplente de deputado Geraldo Naves (DEM) continua em suspenso na Câmara Legislativa. Preso pela Polícia Federal por envolvimento na tentativa de suborno de uma das testemunha do “mensalão do DEM”, Naves é primeiro suplente do partido na Câmara, e deveria tomar posse na vaga de Júnior Brunelli (PSC), que renunciou ao mandato na semana passada para fugir do processo de quebra de decoro que pesava contra ele. A Casa não sabe, porém, como dar posse a um parlamentar sob custódia da polícia.

O presidente da Câmara, Cabo Patrício, do PT, defendeu, em reunião da Mesa Diretora, esta manhã, que Geraldo Naves não seja convocado. Na avaliação dele, “não é correto um deputado nesta condição (preso) tomar posse”. A convocação do deputado, no entanto, se assinada por, pelo menos, três dos cinco membros da Mesa Diretora, tem validade legal. Sem consenso, a decisão sobre o destino de Geraldo Naves foi adiada.

Cabo Patrício pediu à Procuradoria da Câmara Legislativa um parecer sobre a situação do deputado. A assessoria de imprensa do deputado petista disse ainda que, durante reunião da Mesa Diretora, todos os parlamentares presentes se comprometeram a procurar “soluções jurídicas” sobre o caso.

O corregedor da Câmara, deputado distrital Raimundo Ribeiro (PSDB), visitou Geraldo Naves na última sexta-feira na penitenciária Papuda. Segundo Ribeiro, Naves disse entender que sua convocação está valendo desde que foi publicada no Diário Oficial a renúncia de Júnior Brunelli.

Clique aqui para ler a íntegra no site do Estadão

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *