O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) bem que tentou entregar o documento assinado por 20 parlamentares ao presidente José Sarney na tarde de hoje. Esteve...

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) bem que tentou entregar o documento assinado por 20 parlamentares ao presidente José Sarney na tarde de hoje. Esteve na presidência da Casa, mas tudo o que conseguiu foi deixar o material com um bilhete, uma espécie de aviso de entrega. O papel foi protocolado no próprio local.

No manifesto estão oito exigências cobradas e fervorosamente defendidas pelos assinantes. Entre elas, a saída urgente de Alexandre Gazineo da diretoria geral do Senado, a seleção imediata de um substituto passando por aprovação em plenário e a investigação externa de todos os escândalos denunciados recentemente.

Parlamentares como Demóstenes Torres, Artur Virgílio, Tião Viana, Aloizio Mercadante e Pedro Simon encabeçam a lista de assinaturas entregue hoje.

Segundo Buarque, o documento é uma contribuição às crises moral e institucional vividas pelo Senado e por Sarney. “O senador Sarney é muito mais do que o cargo que exerce hoje”, ressaltou ao lembrar os tempos em que o colega presidia o país. “Hoje ele deve achar o cargo sem importância e passa a não ter o devido amor pelo que faz”.

Para Cristovam, Sarney vem sendo incoerente ao mostrar toda a biografia. “O que aparecem são gestos e falas e não o cargo”. Mas o parlamentar acredita numa sensibilização e espera que o presidente da Casa entenda e perceba tudo o que anda acontecendo. “Eu acho bom que ele comece a cumprir o que andou prometendo, caso contrário, pode começar a perder apoio e comprometer o Senado inteiro”.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *