O presidente Lula esteve no Mato Grosso do Sul para reinaugurar o Trem do Pantanal. O “expresso” viaja à incrível velocidade de 30 km\h....

O presidente Lula esteve no Mato Grosso do Sul para reinaugurar o Trem do Pantanal. O “expresso” viaja à incrível velocidade de 30 km\h. No máximo. Em 1914, as marias-fumaças andavam quase duas vezes mais rápido. Lula percorreu o trecho que vai de Aquidauana a Palmeiras. São cerca de 40 quilômetros. Gastou duas horas no trajeto.

O Trem do Pantanal já era conhecido como Trem da Morte antes de ser desativado complementamente em meados da década de 90. A ferrovia foi privatizada. O grupo americano que ganhou a concessão acabou com a malha. E foi embora deixando trilhos detonados, dormentes apodrecidos e trens sucateados. Depois veio a ALL e passou a explorar o trecho. A nova concessionária ganha um dinheirão concorrendo com o transporte rodoviário pelas cargas de minério de Corumbá, soja e combustíveis. O valor do frete é balizado pelo que cobram as transportadoras que operam sobre pneus. Enviar cargas pela ferrovia sai 15 % mais barato.

Passageiros não circulavam pelo trecho há dezoito anos. Agora, uma operadora turística montou uma composição com nove vagões, incluindo um restaurante, e fará uma viagem de ida e volta por semana.  Para dar viabilidade ao transporte de pessoas gastou-se R$ 22,3 milhões. O governo federal investiu só R$ 650 mil na construção de uma parte da estação do distrito indústria de Inbubrasil, de onde parte o trem. Mas o presidente inagurou festivamente o trecho, como se o governo tivesse se esfalfado de trabalhar para obter o resultado.

O problema é que o Trem do Pantanal ainda não chega ao Pantanal. Aliás, passa bem longe. E é bem demorado. Para cumprir o trecho inicial, os turistas vao gastar oito horas. A viagem, de 210 quilômetros, tem que ser feita em dois dias.

O trem foi reformado, mas os vagões ainda estão bem longe do padrão ferroviário da Suiça. O ar-condicionado não funcionou nem na viagem presidencial. E a lerdeza da locomotiva provocou uma cena insólita: a composição não conseguiu chegar a tempo dos discursos oficiais. Isso mesmo: o trem perdeu a inauguração porque chegou atrasado.

O presidente estava inspirado. Talvez pela presença do garanhão paraguaio Lugo, que ficou bem longe dos jornalistas. Falou muitas coisas completamente estapafúrdias. Se você quiser conferir, clique no vídeo abaixo.

{wmv}mssite4{/wmv}

{comments}

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *