Não satisfeito com sua estratégia de intimidacão judicial, o deputado estadual José Geraldo Riva (PP/MT), o parlamentar mais processado do País, lançou mão de...

Não satisfeito com sua estratégia de intimidacão judicial, o deputado estadual José Geraldo Riva (PP/MT), o parlamentar mais processado do País, lançou mão de uma ofensiva para tentar desqualificar e desacreditar os blogs que vêm denunciando os crimes que lhe são imputados pelo Ministério Público. A ofensiva começou há cerca de duas semanas, quando um suposto jornalista chamado Samuel Levy começou a bradar na internet pela aplicação de censura aos blogs que vêm escrevendo sobre o passado criminal de Riva.

Levy, cujo jornaleco é mantido graças a favores de políticos, vive de bajular as autoridades que lhe pagam o jabaculê. Apesar de semi-analfabeto, ele se auto-proclama “jornalista a (SIC) 25 anos”. Usa o parco vocabulário que domina para atacar iniciativas aplaudidas por todo o País, como a de permutar material censurado para driblar a censura prévia imposta aos blogueiros Adriana Vandoni e Enock Cavalcanti. “Nessa maldita e miserável permuta eles traçaram um plano, ou seja vocês publicam o que eu não posso e eu publico o que vocês não podem, é a mesma coisa que dois ratos que acham um pedaço de queijo contaminado e aí se dá a divisão, um come o lado podre e o outro também” desenhou o apedeuta em sua página na internet (confira aqui).

O suposto jornalista do interior de Mato Grosso é também o paladino de uma campanha macartista que tem pro objetivo ajudar Riva a por na cadeia os repórteres que o contrariam. Em seu site, 10 em cada 10 posts fazem algum tipo de alusão elogiosa ao rei dos ficha-suja.

Outra frente usa jornalistas mantidos pela Assembléia Legislativa como lobistas para tentar salva a pele de José Geraldo Riva que, quatro vezes condenado, está inelegível e apartado de todas as funções administrativas atinentes à presidência do Legislativo — entre elas as de nomear, exonerar funcionários e assinar cheques. Foi por iniciativa de um desses jornalistas que Riva esteve com um importante desembargador no apartamento do magistrado dez dias atrás, às sete horas da noite.

Numa terceira investida, blogs igualmente mantidos por picaretas que se dedicam em tempo integral a alugar suas penas para quem os mantém começam a divulgar mantiras cacpiosas com o abjetivo de igualar os denunciantes à práticas dos denunciados. É o caso de Ely Santantonio, que edita uma página eletrônica cuja escatologia começa pelo nome: Cassetão Cuiabano.

A falta de decoro desse pretenso blogueiro é impressionante. No mesmo post em que inventa mentiras como a de que os blogueiros recebem dinheiro para denegrir Riva, ele afirm de maneira descarada que “hoje vivo de “esmolas” e uma das “esmolas” que recebo e vem de um grupo ligado ao deputado José Riva é ínfima, [que] mal está dando para alimentar porcos e galinhas que mantenho aos cuidados de um caseiro em Cuiabá”.

Mais adiante, o esmoler passa do assaque ao delírio, e começa a desvelar suas maldades metirosas com o seguinte argumento: “embora no momento me sinta umjumento por estar comprando esta briga, acho uma canalhice o Enock Cavalcanti, Adriana Vandoni e Fábio Pannunzio posarem de paladinos da moralidade, de defensores da população pobre de Mato grosso, quando, na verdade recebem para o desempenho do papel de CARRASCOS da degradação moral do deputado José Riva, a nível regional e nacional. E estão recebendo muito, se comparado ao faturamento de outros “blogs”.

Adriana Vandoni – Nada tem de nobreza o fato do seu blog (Prosa e Política) ser sustentado por duas ONGs (bem suspeitas) que faturam milhões junto à AGER e outros órgãos governamentais, em Mato Grosso, que hoje tem o Ministério Público Federal e a PF no encalço. Montante dos dois repasses mensais: R$ 35 mil.

Enock Cavancanti – Sobre este já expus em matéria completa, passível de ser acessada neste blog, O$ 80 MIL REAIS motivos para esculhambar ao máximo o deputado José Riva. É o ex-prefeito Wilson Santos bancando tudo no pedaço!

Fábio Pannunzio – Seria honesto e louvável, justificar a não aceitação de propostas (se é que houve!) consideradas “indecentes” pelo simples fato de que a campanha que hoje mantem a nível nacional é SUSTENTADA (muito bem paga!) por um grupo de empresas ligadas ao mega empresário Luiz Becare, dono de rede de emissoras de rádio e tv em Mato grosso, além de construtoras e rede de postos de combustíveis espalhadados pelo País. Não é nada pessoal de Becare contra José Riva (a não ser fato de Riva ter dado total apoio a Walter Rabello quando este foi defenestrado da TV Cidade Verde, onde produzia e apresentava o Olho Vivo na Cidade. A TV como várias outras no estado, pertence ao Becare). Trata-se de uma ajudazinha ao “amigo e irmão” Wilson Santos, que vê na DESTRUIÇÃO da carreira política de Riva um impecilho a menos na sua caminhada rumo ao Paiaguás. Riva, já de dedução geral, apoiará Silval Barbosa ao Governo do Estado. Valor acertado: R$ 36O mil, em parcelas vigentes até outubro de 2010.

O Blog do Pannunzio rechaça essas acusações e afirma que tudo o que foi dito pelo esmoler de José Geraldo Riva é absolutamente mentiroso. Não connheço  nem nunca estive com Beccare, nunca recebi um tostão além do meu salário de repórter, não tenho relação nenhuma com qualquer dos candidatos de Mato Grosso a cargos eletivos. A motivação deste blog é a de denunciar o assalto ao dinheiro público que se dá em Cuiabá com a conivência de todos os políticos e de todos os órgãos de imprensa do Estado e de alguns blogs venais.

Para finalizar, o grupo de penas-alugadas a serviço de José Geraldo Riva não conseguiu produzir nenhum fato digno de nota. Um desmentido, por exemplo. Até este momento, nenhuma das reportagens veiculadas por este Blog foi objeto de um desmentido, uma contradita, um pedido de direito de resposta, nada do gênero. Isso decorre do cuidado extremo com a apuração do material veiculado e da confiabilidade das fontes. Tudo o que tem sido dito aqui está consagrado em processos ou sentenças exaradas pela Justiça matogrossense. Ao contrário dos jornalistas de aluguel, o editor desta publicação eletrônica preza pela verdade,e não pela mentira dita dolosamente com o objetivo de prejudicar a honra e a dignidade de quem quer que seja.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *