O presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Demóstenes Torres (DEM-GO), entrou esta tarde com pedido, na direção da Casa, para que o ex-diretor-geral,...

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Demóstenes Torres (DEM-GO), entrou esta tarde com pedido, na direção da Casa, para que o ex-diretor-geral, Agaciel Maia, passe por processo disciplinar.

O parlamentar também requereu a instauração de um inquérito policial para apurar atos do servidor que ficou no cargo por 14 anos. Agaciel lotou no gabinete de Demóstenes uma funcionária sem o conhecimento do senador e depois a transferiu secretamente para o gabinete de Delcídio Amaral (PT-MS).

No documento há ainda a solicitação de enquadramento de Maia por crime de improbidade administrativa.

Essas medidas podem ser o primeiro passo para a demissão do funcionário público, afastado do cargo há cerca de três meses.

Agaciel é concursado da Casa e apontado como um dos responsáveis pelos chamados “atos secretos”, que afundaram o Senado numa das piores crises da história.

Durante entrevista coletiva, Demóstenes Torres sugeriu o afastamento do presidente José Sarney (PMDB-AP) da apuração deste caso, já que ele possui laços afetivos com o acusado. Para o senador Renato Casagrande (PSB-SE), Sarney deve fazer uma reflexão. “Ele (Sarney) sabe que não pode pisar em falso neste momento senão vai viver um processo de insustentabilidade política”.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *