Filipe CoutinhoMárcio Falcão Após o escândalo do mensalão do DEM abalar a política do Distrito Federal, pelo menos nove citados no inquérito da Caixa...

Filipe Coutinho
Márcio Falcão

Após o escândalo do mensalão do DEM abalar a política do Distrito Federal, pelo menos nove citados no inquérito da Caixa de Pandora, que investiga um esquema de propina no governo José Roberto Arruda, registraram candidatura na Justiça Eleitoral nesta segunda-feira.

Em comum, os candidatos sofreram uma devassa da Polícia Federal nos últimos meses e agora querem conseguir no voto uma forma de ter mais quatro anos de poder e, de quebra, garantir foro privilegiado.

Dos nove citados no inquérito, quatro são deputados distritais que tentam a reeleição: Benedito Domingos (PP), Benício Tavares (PMDB), Aylton Gomes (PR) e Roney Nemer (PMDB). Todos eles respondem a processo no Conselho de Ética da Câmara do DF e se dizem inocentes.

Ainda no legislativo distrital, concorrem Pedro do Ovo (PRP), Berinaldo Ponte (PP) e José Luiz Valente, ex-secretário de Educação acusado de receber uma fatia do dinheiro desviado do órgão. Pedro do Ovo foi um dos alvos da primeira etapa da Caixa de Pandora, quando a Polícia Federal entrou pela janela de sua casa para fazer valer a ordem judicial.

O ex-corregedor do governo do Distrital Federal Roberto Giffoni é mais um citado na Caixa de Pandora que tenta conseguir no voto retornar à política. Ele é uma das pessoas mais próximas do ex-governador Arruda, acusado de ser o chefe do mensalão do DEM. Giffoni é investigado pela suspeita de ter recebido pelo menos R$ 280 mil de propina –ele nega.

O deputado federal Augusto Carvalho (PPS) é mais um investigado que tenta a reeleição. Ele foi citado em dos vídeos anexados ao inquérito, mas a empresária que fala em seu nome isentou o deputado de culpa.

Clique aqui para ler a íntegra no site da Folha

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *