São Paulo cobra ICMS sobre energia furtadaAs distribuidoras de energia elétrica resolveram levar à Justiça a cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e...

São Paulo cobra ICMS sobre energia furtada
As distribuidoras de energia elétrica resolveram levar à Justiça a cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) estabelecida em São Paulo sobre a energia elétrica furtada da rede de distribuição. Ou seja, sobre a energia consumida nos chamados “gatos”. O imposto deve ser pago nos casos em que as distribuidoras descubram ou não o autor do furto. A perda das distribuidoras de energia elétrica do país com furto, no caso mais grave, chega a 24%, calcula a Agência Nacional de Energia Elétrica. O setor estima em cerca de 5% a média nacional do prejuízo com “gatos”.
O Sindicato da Indústria de Energia no Estado de São Paulo (Siesp) ajuizou ação judicial contra a exigência e conseguiu liminar suspendendo a cobrança. Fonte próxima às distribuidoras diz que, caso a cobrança realmente seja efetivada, provavelmente resultará em custo direto, com impacto imediato para as concessionárias de energia. Procurada, a Secretaria da Fazenda de São Paulo não se manifestou. (Págs. 1 e A3)

UE abre brecha na proteção de patentes de transgênicos
O Tribunal de Justiça da União Europeia determinou ontem que a lei de patentes do bloco não pode ser usada para impedir a importação de produtos feitos com ingredientes transgênicos cujas sequências de DNA são patenteadas na UE, e não no país exportador.
A decisão pode abrir a porta para um aumento de exportações à UE de produtos transgênicos feitos em países emergentes com proteção de patente mais fraca. O caso julgado se refere à importação de farelo de soja da Argentina feito a partir de soja geneticamente modificada resistente ao herbicida glifosato. (Págs. 1 e B12)

Rede D’Or recebe R$ 55 mi do IFC
Dois meses após receber recursos do BTG Pactual, a rede de hospitais D’Or, do Rio, fechou a captação de um empréstimo de R$ 55 milhões com o IFC, braço do Banco Mundial para o setor privado. A Rede D’Or usará a verba para construir, reformar e comprar hospitais no Rio e em outras praças do país.
O empréstimo foi o maior já concedido pelo IFC na área de saúde no Brasil. Fundada em 1977 pelo médico Jorge Moll, a Rede D’Or tem um faturamento anual de R$ 1,5 bilhão, o que a coloca na liderança de grupos privados exclusivamente hospitalares. (Págs. 1 e B1)

Centrais sindicais cortejam sindicatos e filiam 1,5 mil entidades em 18 meses (Págs. 1 e A12)

Eli Lilly enfrenta o pesadelo de perda em massa de patentes (Págs. 1 e B9)

Encontro com europeus
O encontro de cúpula Brasil-União Europeia na próxima semana, em Brasília, dificilmente resultará em acordo sobre transporte aéreo, vistos de turismo e negócios, frustrando expectativa brasileira. (Págs. 1 e A2)

Chile com menos energia
O crescimento surpreendente da Argentina, provavelmente acima de 7% este ano, pode resultar numa redução da oferta do seu gás natural para o Chile, o que poderá, por sua vez, comprometer o crescimento chileno. (Págs. 1 e A9)

Expansão acelerada de celular
Até maio, os brasileiros adicionaram 9,7 milhões de linhas à base de celulares, um recorde para os últimos dez anos, segundo a Anatel. (Págs. 1 e B3)

Gol e Delta em acordo
A Gol e a americana Delta Airlines anunciam hoje um acordo que permite que os seus passageiros possam acumular milhas nos programas de milhagens de ambas as companhias. (Págs. 1 e B4)

Carbono Química diversifica
A Carbono Química, distribuidora de solventes e hidrocarbonetos, vai intensificar a fabricação de sua linha de produtos próprios. A empresa investe em pesquisa para ampliar seu portfólio. (Págs. 1 e B6)

Novo estaleiro
O Estaleiro Enseada do Paraguaçu, sociedade entre Odebrecht OAS e UTC, vai ser construído independente do resultado das licitações da Petrobras para sondas de perfuração de poços de petróleo. (Págs. 1 e B7)

Aumento no plantio de algodão
Diante de um cenário de oferta mundial escassa, os produtores brasileiros de algodão devem ampliar em 20% a área plantada com a cultura no próximo ciclo de 2010/11. (Págs. 1 e B12)

Vacinas para aves
Com atuação até agora no segmento de aditivos para saúde e nutrição animal, a israelense Phibro vai passar a operar no mercado de produtos biológicos. especialmente vacinas para aVicultura. (Págs. 1 e B12)

Bancos menos lucrativos
Os lucros dos bancos de investimento no mundo deverão cair bastante no segundo trimestre; depois que condições de mercado muito duras reduziram as comissões de negócios com títulos. (Págs. 1 e C2)

Private ganha força no Votorantim
O banco Votorantim reforça as áreas de gestão de recursos e private banking com a criação de uma diretoria de gestão de patrimônio que ficará com Robert John van Dijk. (Págs. 1 e D2)

Mais fusões no Brasil
O número de fusões e aquisições no Brasil ou com empresas brasileiras no exterior alcançou o recorde de 351 na primeira metade deste ano, superando em 77,3% o total de igual período de 2009. (Págs. 1 e D4)

Ideias
Alex Ribeiro
Bancos centrais resgataram US$ 500 bilhões de suas reservas depositadas nos bancos no auge da crise financeira. (Págs. 1 e A2)

Ideias
Martin Wolf
É completamente errado achar que dificuldades na Grécia implicam problemas futuros para os EUA ou Reino Unido. (Págs. 1 e A11)

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *