Estudo do Senado mostra altos riscos do trem-bala O projeto do primeiro trem-bala brasileiro parece fadado ao fracasso se analisado com base em estudo...

Estudo do Senado mostra altos riscos do trem-bala
O projeto do primeiro trem-bala brasileiro parece fadado ao fracasso se analisado com base em estudo de consultores do Senado que compara os planos para o trem de alta velocidade brasileiro (TAV) com os de outros países. 0 trabalho mostra uma série de problemas, como custo subestimado, demanda insuficiente, tarifa cara, falta de interconexão com outros meios de transporte e ausência de análise de projetas alternativos. “É a crônica de um prejuízo anunciado”, diz Marcos Mendes, consultor do Senado responsável pelo estudo.
O valor da obra, R$ 34,6 bilhões, está muito longe da realidade, segundo o levantamento. 0 projeto, de acordo com o edital, estima que o preço das obras por quilômetro rodado no Brasil será de U5$ 33,4 milhões, enquanto a padrão internacional fica entre US$ 35 milhões e US$ 70 milhões.(Págs. 1 e A4)

IOF atinge também investimento em capital O aumento do I0F, de 2% para 4%, no ingresso dos recursos externos vai atingir inclusive o investimento, na forma de capital, na participação em projetos de infraestrutura ou do setor imobiliário. 0 dólar que vem ao Brasil para compra de fatia em empresas nos fundos de “private equity” também passará a ser tributado em 4%. “A medida é um desastre”, diz Luciano Lewandowski, da Prosperitas, com foco em fundos de “private equity” imobiliários. A gestora tem no exterior R$ 300 milhões do fundo Prosperitas II. Pela regra anterior, o IOF era de R$ 6 milhões. Agora, serão R$ 12 milhões.
Embora o ministro da Fazenda, Guido Mantega, tenha dito inicialmente que 0 IOF maior só recairia sobre transações de renda fixa. 0 investimento externo em fundos de ações e multimercados também será afetado, segundo o decreto republicado.

Para Armínio Fraga, sócio da Gávea Investimentos e ex-presidente do Banco Central, sem ampliar o esforço fiscal e reduzir os juros será difícil para o Brasil encontrar soluções que barrem uma apreciação do real frente ao dólar. 0 economista chefe do FMI, Olivier Blanchard, também aconselhou o Brasil a conter os gastos públicos para lidar com o superaquecirnento da economia. (Págs. 1 e Cl a C8)

Brasil se opõe a acordo comercial contra pirataria

Um acordo comercial antipirataria, para combater negócios ilegais estimados em US$ 250 bilhões por ano, está praticamente concluído, após três anos de discussões sigilosas. Ele envolve 40 países e é liderado pelos EUA e pela União Europeia. China, Brasil e Índia não participaram das negociações – são, na verdade, os alvos do acordo. Para o Brasil, ele tem legitimidade e é desequilibrado, diz Roberto Azevedo, embaixador brasileiro junto à Organização Mundial do Comércio. (Págs. 1 e A13)

Justiça limita o tamanho do processo digital

As limitações de tamanho e formato do processo eletrônico começam a gerar problemas para os advogados. Em Minas, o Tribunal Regional do Trabalho negou recursos do Santander e da Holanda-Previ (hoje SantanderPrevi) que teriam ultrapassado os limites estipulados pela Corte – dois megabytes e 50 páginas impressas. As restrições, que não existem para ações em papel, foram criadas pelos tribunais na regulamentação da lei nº 11.419, de 2006, que trata da informatização dos processos. (Págs. 1 e E1)

Restrições de conservadores à Dilma e o PT

O aborto está no centro da controvérsia entre o governo – e sua candidata, Dilma Rousseff – e a Igreja Católica, mas a lista de contenciosos é mais ampla e até o acordo entre o Brasil e o Vaticano pode tensionar as relações. O acordo trata do estatuto jurídico da Igreja no país e garante benefícios de natureza tributária, trabalhista e até subsídios para manutenção de monumentos. Mas tramitam ações de inconstitucionalidade contra ele, uma grande preocupação da Igreja, segundo o bispo auxiliar de Salvador, dom João Carlos Petrini, um dos expoentes do Movimento Comunhão e Libertação, de tendência conservadora. Ele foi um dos 67 bispos signatários de um documento contra o terceiro Plano Nacional de Direitos Humanos, classificado como uma “ameaça à paz social”. O bispo considera que Lula fez concessões conservadoras na política e na economia e que “os grupos da esquerda foram exercer sua pressão no plano dos costumes e dos valores morais”. (Págs. 1 e A16)

Disputa por água na Índia ameaça projetos siderúrgicos (Págs. 1 e B10)

Santo Antônio inova para evitar custos ambientais (Págs. 1 e B11)

Prêmio à responsabilidade social

Foi realizada ontem, em São Paulo, a entrega do 10º Premio Ethos Valor, que tem por objetivo incentivar a discussão sobre responsabilidade social e sustentabilidade no meio universitário. Os cinco trabalhos vencedores foram escolhidos entre 283 inscritos. (Págs. 1 e A2)

Consolidação em novo formato

A Automatos, empresa de TI que liderou a formação da Virtus em 2008, viu a experiência fracassar no fim do ano passado, mas não abandonou a estratégia de consolidação, agora por meio de aquisições. (Págs. 1 e B4)

Vale deverá investir US$ 20 bi

O conselho de administração da Vale deve aprovar na próxima semana, em reunião extraordinária, investimentos de US$ 20 bilhões para o próximo ano. (págs. 1 e B8)

Cade veta compra de concreteira

A Cade vetou a compra de Cimentos Tupi pela Polimix, que tem a Votorantim entre seus sócios. A Polimix também foi multada pela demora em informar o órgão sobre o negócio. (Págs. 1 e B8)

‘Lavagem de madeira’

Concessionárias de Jirau e Santo Antônio temem a venda de madeira extraída ilegalmente como proveniente do desmatamento autorizado nas duas usinas. (Págs. 1 e B10)

Provimi cresce na América Latina

O grupo holandês de nutrição animal Provimi – que no Brasil controla a Nutron, responsável por 70% da receita na América Latina – comprou a mexicana Nassa, líder no setor de suínos em seu país. (Págs. 1 e B13)

Russos miram fertilizantes

O grupo russo Metaprocess planeja construir uma fábrica de fertilizantes nitrogenados no Mato Grosso do Sul. O investimento de US$ 1 bilhão, ainda depende do preço do gás a ser fornecido pela Petrobras. (Págs. 1 e B14)

Justiça exige ‘call center’ próprio

Decisões recentes da Justiça do Trabalho rejeitam a possibilidade de terceirização do “call center” por concessionárias de serviços públicos. (Págs. 1 e E2)

Ideias

Ribamar Oliveira

A experiência mostra que a aprovação das reformas não depende só do número de parlamentares da base governista. (Págs. 1 e A2)

Ideias

George Soros

O erro do governo Obama foi ajudar os bancos comprando ativos inadimplentes e oferecendo-lhes dinheiro barato. (Págs. 1 e A15)

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *