O senador Arthur Virgílio (PSDB-AM), líder da bancada do PSDB no Senado, deve apresentar um requerimento exigindo a destituição dos parlamentares governistas que estão...

O senador Arthur Virgílio (PSDB-AM), líder da bancada do PSDB no Senado, deve apresentar um requerimento exigindo a destituição dos parlamentares governistas que estão obstruindo a instalação da CPI da PETROBRAS. A iniciativa, que já foi discutida pelo partido, deve abrir mais uma frente de batalha na guerra política que paralisa os trabalhos de duas comissões parlamentares de inquérito — a da PETROBRAS e a das ONGs.

Antevendo que o requerimento será rejeitado pelo presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), Arthur Virgílio e Alvaro Dias (PSDB-PR) já anteciparam que podem ir ao STF para conseguir instalar da CPI. “Nós vamos fazer valer o direito da minoria de fazer funcionar a comissão”, antecipou Arthur Virgílio na semana passada.

A penúltima semana antes do início do recesso começa com um impasse entre governo e oposição. A situação tende a ficar ainda mais complicada com a insistência de Sarney em permanecer no cargo de presidente, apesar dos apelos para que se licencie enquanto o Senado investiga as denúncias de irregularidades que pesam contra ele.

Na semana passada, Sarney conseguiu a garantia do presidente Lula de que a bancada petista vai dar a ele retaguarda política para continuar na presidência. Apesar da irritação dos senadores petistas, que não escondem um constrangimento com a situação.

Ainda não é possível antever que desdobramentos a crise terá esta semana. Sarney praticamente não preside mais as sessões deliberativas e certamente será objeto de críticas abertas dos colegas de partidos que já firmaram posição favorável ao seu afastamento (PDT, PSDB e DEM).

É improvável que ele consiga manifestações favoráveis dos senadores do PT. Sarney foi eleito num arranjo arquitetado pelo Palácio do Planalto e PMDB. O PT foi derrotado, o que deixou arestas que jamais foram aparadas na relação entre parlamentares dos dois partidos.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *