Nomeado de Erenice aprovou superfaturamento nos Correios Documentos mostram que direção da estatal manobrou para ressuscitar licitação que havia sido cancelada O presidente dos...

Nomeado de Erenice aprovou superfaturamento nos Correios
Documentos mostram que direção da estatal manobrou para ressuscitar licitação que havia sido cancelada

O presidente dos Correios, David José de Matos, e a diretoria da estatal aprovaram um contrato superfaturado para favorecer uma empresa de carga aérea, informam Leandro Colon e Karla Mendes. Documentos obtidos pelo Estado mostram que a nova direção da estatal, nomeada pela então ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, manobrou para ressuscitar, em agosto, uma licitação que fora cancelada três meses antes pelo comando demitido da empresa. Os documentos revelam o esforço da nova diretoria, que assumiu em 2 de agosto, para duas semanas depois da posse, entregar à Total Linhas Aéreas um contrato de R$ 44,3 milhões – valor R$ 2,8 milhões superior ao máximo estabelecido na licitação. A concorrência foi concluída em meio à crise que derrubou Erenice. Matos negou a irregularidade e disse que as “variações” do preço máximo são comuns “em um mercado com poucos concorrentes”. (pág. 1 e Nacional, pág. A4)

R$ 2,8 milhões é o valor do superfaturamento de contrato nos Correios, feito com a única candidata que disputou licitação.

Dilma e Serra tentarão linha “paz e amor” no debate de hoje
Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), por terem temperamento forte, receberam orientação de seus comandos de campanha a exibirem uma postura “paz e amor”, no primeiro confronto de segundo turno, hoje à noite na Band. Para pensar e evitar respostas malcriadas, Dilma deverá apelar para o ‘copo d’água’. Serra também deverá adotar tom “ameno”, mas sem descartar temas como aborto. (pág. 1 e Nacional, pág. A8)

Igreja influencia voto desde o Descobrimento
A estridência com que o debate moral e religioso emergiu para o topo da agenda na eleição presidencial criou a sensação de aumento da influência das igrejas sobre o voto. Mas a religião está intensamente envolvida na política desde que o Descobrimento foi celebrado com uma missa. (pág. 1 e Nacional, págs. A11 e A12)

Mantega adverte para déficit externo
Guido Mantega (Fazenda) alertou para o perigo do déficit externo dos emergentes: “Não se deve esperar que essa tendência continue”. (pág. 1 e Economia, pág. B8)

Nordestino migra menos para Sudeste
Sustentado pelo crescimento econômico da região, recuo do fluxo migratório explica em parte a falta de mão de obra no Sudeste. (pág. 1 e Economia, pág. B1)

Brasil vira forte mercado para embarcações de luxo (pág. 1 e Economia, pág. B12)

Dora Kramer: Escravos de Jó
Esse tira, põe, deixa ficar, ao molde da cantiga infantil, pode acabar minando a credibilidade do programa de governo de Dilma Rousseff. (pág. 1 e Nacional, pág. A8)

Sérgio Fausto: Crença religiosa e manipulação
O tema do aborto não foi trazido para debatido a sério. A matéria é sensível e deve ser discutida. Mas não agora, desse jeito. (pág. 1 e Espaço Aberto, pág. A2)

Notas e informações: A politização da Petrobrás
O problema da Petrobrás é sua subordinação aos interesses de um governo centralizador. (págs. 1 e A3)

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *